3 – Como investir na bolsa de valores?

Boa parte dos brasileiros gostaria de investir na bolsa de valores. Mas ainda existe muita desinformação sobre. Uma das principais queixas que se faz por ai, está relacionada ao valor mínimo para começar a investir.

Frases como: “Bolsa de valores é para ricos” são bem comuns de serem ouvidas por aí. Por isso mesmo, estarei desenvolvendo com bastante carinho essa parte de como investir. Lógico, o restante de todo artigo foi muito bem pensado também, mas é preciso estabelecer alguns pontos aqui.

Investimento de longo prazo!

2000 bolsa de valores

Além de ser para rico, a bolsa de valores às vezes pode ser confundida com um casino. Isso mesmo, com uma casa de apostas, onde podemos optar por comprar um ativo, e de maneira bem parecida a um casino, ou loteria, aguardamos por um determinado dia, onde podemos resgatar uma bela fortuna, ou simplesmente perder o que investimos.

Toda essa visão está errada. Até porque quando investimos dessa maneira, esperando ganhar no curto prazo, deve existir um estudo sobre o ativo. Tal estudo e avaliação acabam auxiliando bastante na tomada de decisão, deixando de ser uma aposta, para virar um investimento especulativo.

Mas na grande parte das vezes, devemos observar a bolsa de valores como uma maneira de investir visando o longo prazo. Ou seja, vamos comprar ações, fundos imobiliários ou ETF visando um investimento mais longo.

Algo que dure no mínimo um ano para mais. Para isso precisamos disponibilizar de recursos que podem ser aplicados de tal maneira.

Não adianta em nada, utilizar parte de suas reservas de emergência para aplicar em algum ativo que você ouviu que vai se valorizar, ou até que foi sugerido por algum analista financeiro e afim..

Os investimentos em bolsa de valores precisam ser muito bem estudados, de maneira bem similar a qualquer outro investimento que o leitor vir a fazer.

Lógico, quando falamos de bolsa de valores existe uma quantidade de riscos a mais. Principalmente relacionados ao ativo em questão e o próprio mercado.

Antes mesmo de investir o leitor precisa ter em mente que estará em um ambiente bastante volátil. Ainda mais quando falamos do mercado brasileiro.

As bolsas de valores de países em crescimento, como o Brasil, tem a tendência de sofrer com mais força os impactos externos. É possível ver isso através da alta do dólar que ocorreu entre 2015 até o inicio de 2016.

2011 - 2016 bolsa de valores

A moeda americana era negociada próxima dos R$ 2,50, ao final estava passando dos R$ 4,00! Isso ajudou muito na elevação do IPCA, sem falar que a alta do dólar destacou a saída do capital estrangeiro de nosso país.

O risco Brasil, outra medida utilizada para observar o humor do mercado com nosso país também teve um belo aumento nesse período:

risco bolsa de valores

Da para ver que a partir de 2014 se deu inicio a um grande movimento de alta do risco Brasil. Coisa que não ajuda em nada a captação externa de nosso país.

Ou melhor, para conseguir aproximar o investidor estrangeiro de nossas terras, precisamos pagar mais pelo dinheiro, uma vez que o rico de se investir no Brasil aumentou.

Enfim, já estou me distanciando do assunto principal, e focando em assuntos que devemos analisar mais a frente. O importante e deixar claro que o mercado de ações ou a bolsa de valores é um ambiente com bastante volatilidade.

Você não vai abrir a sua conta na corretora em um dia, comprar suas ações, e no outro dia ter as mesas ações se valorizando um pouquinho, e assim por diante. Ela poderá se valorizar de um dia para outro, mais de 2%, e de repente no terceiro dia cair 4%, e assim sucessivamente.

Por isso é preciso analisar com bastante cautela quais ativos investir!

Estudando as possibilidades de investimento

Por se tratar de um ambiente com diversos tipos de investimentos, é preciso escolher bem quais ativos comprar! O mercado pode levar as cotações dos ativos escolhidos para cima, como para baixo.

Se você optar por alguma empresa que não tenha bons fundamentos é provável que o seu investimento, no curto prazo venha para baixo.

Mas como saber se a empresa possui bons fundamentos? Não vou me de alongar nas explicações sobre análise, até porque temos artigos em nosso blog que podem sanar as principais dúvidas dos leitores.

O seguinte artigo trata do assunto de análises: Como Usar a Análise Fundamentalista e a Técnica Ao Mesmo Tempo

Além desse artigo, o investidor pode achar muitas informações no site Fundamentus! Através desse site o investidor pode ter acesso a diversas informações sobre ações, desde suas ultimas distribuição de dividendos, até os gráficos com as ultimas cotações além dos balanços.

Outro lugar onde os investidores podem procurar por mais informações sobre as empresas listadas na bolsa de valores, é traves dos seus sites. Praticamente todas as empresas listadas na bolsa de valores mantém um site na internet, onde o investidor pode ter acesso a diversas informações.

Segue a página de relacionamento com os investidores da Ambev:

investidores bolsa de valores

Por meio da área de relacionamento com os investidores, as pessoas podem conseguir informações oficias, e transcritas em relatório. Tudo isso acaba gerando mais transparecia nas informações, facilitando a vida do investidor!

Mesmo após fazer todo um estudo, é normal ver investidores cometerem erros. Se lembre, investir na bolsa de valores incorre em ter alguns prejuízos ao longo da caminhada.

Adquirindo essas experiências, o investidor vai ficando mais espeto,  e evitando cair em erros que antes eram difíceis de observar, mas agora são comuns, e são observados com facilidade.

Adquirindo experiência na bolsa de valores!

Nessa parte vou falar um pouco sobre minhas experiências como investidor. No blog é possível encontrar diversos artigos falando sobre erros que podemos cometer ao investir na bolsa de valores, segue alguns:

Um dos meus maiores erros que cometi ao iniciar meus investimentos na bolsa de valores, era de levar muito a sério os rendimentos passados, a ponto de esperar que eles pudessem se repetir, sem olhar o resultado da companhia.

Uma das características que me chamava mais atenção nas ações era os dividendos. É bem complicado achar uma empresa que consegue pagar mais do que 7% de dividendos e juro sobre o capital ao ano.

É bom lembrar que as distribuições de dividendos são isentas de imposto de renda, ao menos por enquanto ainda são isentas.

Pois bem, a partir do momento em que você começa a focar suas atenções em rendimentos passados, é bem possível que algo possa dar errado.

Isso ocorre devido a complexidade das empresas. Por exemplo, não faz muito tempo que uma empresa listada na bolsa de valores, a BR Properties BRPR3 fez uma bela distribuição e lucros. Distribuição que ocorreu devido a vendas referentes a propriedades da empresa.

Essas vendas não ocorrem sempre, ainda mais em um mercado onde é um pouco mais difícil de conseguir emplacar vendas constantes, além da situação econômica brasileira, no momento, não ajudar muito.

Enfim, para ser mais preciso em 2014 BRPR3 pagou aproximadamente R$ 5,00 por ação aos seus acionistas a títulos de dividendos. Para uma ação que na época estava valendo algo próximo dos R$ 10,00, é uma baita distribuição.

gráfico bolsa de valores

O que poderia ocorrer em uma situação como essa? O investidor de primeira viagem, poderia achar que aquela distribuição poderia vir a ocorrer mais vezes.

Se a empresa já fez uma distribuição como essa, porque ela não voltaria a fazer? Então ele poderia acabar amargando uma singela frustração, uma vez que as distribuições até ocorreram, mas sem a mesma intensidade…

dividendo bolsa de valores

Como podemos ver na ultima imagem, temos o valor em 2014 de R$ 5,50, sendo que no ano seguinte a distribuição já foi menor, e em 2016 não houve pagamentos de dividendos.

Em uma situação assim, no mínimo, o investidor ficaria frustrado. Lembrando que estamos analisando somente a questão de proventos recorrentes.

Acredito que para conseguir emplacar um bom investimento, precisamos analisar além dos proventos (que é uma boa métrica, porém sozinha não consegue ajudar muito) poderíamos incluir o valor patrimonial por ação, o crescimento da companhia nos últimos 5 anos (se houve pelo menos) e o preço da ação pelo lucro, sem falar da margem líquida e bruta.

Vou me estender até aqui na explicação de algumas métricas, porque o foco do artigo não é bem de análise, mas sim, de explicar como funciona esse mundo da bolsa de valores, portanto vamos voltar a ele!

Na próxima página (página 5/11): Qual é o rendimento possível através da bolsa de valores?

  1. Sergio 27 de novembro de 2017 at 12:28

    Quando se coloca uma ordem de compra ou venda de ações, pode fazer o cancelamento desta ordem antes que ela seja concluída?

    1. Oliver Imhof 1 de dezembro de 2017 at 19:03

      Boa noite Sergio! Tudo bom? Sim, claro! Se a ordem ainda não foi executada e o ativo não veio parar na suas carteira, ou saiu dela, a ordem podem sim ser cancelada! Espero ter ajudado! Qualquer coisa estamos ai!

Deixe Um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *