Como Usar as “Entradas Progressivas” Nos Trades e Turbinar os Seus Resultados

Quando comecei a operar, dividi meu capital em 3 partes iguais. Aí, sempre que quisesse entrar num trade, gastava por volta de 33% do meu capital de uma vez na operação.

Então, se o trade funcionasse, esses 33% gerariam um lucro simpático. Porém, se a operação não funcionasse, esses mesmos 33% gerariam um prejuízo desagradável.

Mas como eu era um iniciante despreparado, não pensava muito no prejuízo e sim, apenas no quanto eu poderia ganhar. Por isso, tinha em mente que se fizesse dinheiro, os lucros seriam altos porque eu tinha entrado pesado na operação desde o início.

E se perdesse dinheiro?

Bem, como o n00b idiota que eu era, acreditava que “uma hora vai funcionar, então pra que vou perder tempo pensando nisso, né?”

De qualquer forma, sempre que meu esquema “all-in” funcionava, os lucros me animavam. Mas quando eu era stopado impiedosamente pelo Senhor Mercado, me sentia estranho porque a perda, apesar de pequena, parecia ser grande demais para um trade que acabou não dando em porra nenhuma.

Continuei entrando nas operações de uma vez por algum tempo e depois, ao reler Memórias de um Operador da Bolsa pela décima quinta vez, decidi mudar minha estratégia. Decidi entrar nos trades aos pouquinhos e comecei a utilizar as populares entradas progressivas dos trend-followers.

Como Jesse Livermore Comprava Ações…

Tá, eu sei que não tem nada a ver. Mas veja pelo lado bom, era isso ou aquela imagem boba dele segurando aquela caneta idiota 😛

Assim que relembrei que o grande trader Jesse Livermore recomendava as entradas progressivas, dei uma olhada em seu How to Trade in Stocks para ter uma idéia melhor do que ele quis dizer.

Era basicamente isso:

“Ao invés de entrarmos em um trade de uma vez, devemos entrar aos poucos para nos protegermos de perdas grandes caso formos stopados logo no começo, como em um falso rompimento.”

Por exemplo, imagine que um sinal técnico qualquer te mande comprar 5 lotes de PETR4. Se comprar os 5 lotes de uma vez e for stopado poucos dias depois, o prejuízo será “grande”.

Só que se você comprar 1 lote no começo e esperar o trade funcionar um pouco para comprar os outros, mesmo se der tudo errado imediatamente, você perderá dinheiro apenas naquele mísero lote em vez de em 5.

É verdade que se o papel for para a lua, os lucros feitos em um trade com entradas progressivas serão um pouco menores do que aqueles feitos em uma operação “entrada de uma vez”. A vantagem é que o risco será muito menor também. E se mesmo assim você decidir arriscar bastante, é possível entrar aos poucos mas com posições maiores.

O risco se mantém, mas o potencial de lucro aumenta.

Agora, não é só o alavancado-suicida do Livermore que utilizava e recomendava essa estratégia de entrada.

Os Turtle Traders operavam futuros da mesma maneira. E eles tinham um matemático nerd chamado William Eckhardt que passava horas e horas (nas quais ele poderia estar jogando D&D com os amigos) testando para descobrir se essa estratégia realmente valia a pena.

Ele descobriu que sim 🙂

Como Utilizar Entradas Progressivas

O segredo é ir com calma e tomando cuidado…

Ok, devemos entrar no trade da mesma maneira na qual entramos numa piscina ou num lago, aos pouquinhos e sem pressa. Não sabemos como está a temperatura da água e se existem piranhas para nos comer ou pedras enormes abaixo da superfície que poderiam quebrar nossas cabeças e por isso, devemos ter bom senso.

Mas na bolsa de valores, como ter cuidado ao “comprar ativos aos pouquinhos”?

O Livermore nunca explicou detalhadamente como ele fazia. Logo, podemos apenas aproveitar o conceito de seus estudos e chutar que ele aumentava suas posições em rompimentos. Ou seja, com novas máximas para trades comprados e novas mínimas para trades vendidos.

Já os Turtle Traders aumentavam suas posições pela ATR, a cada 0.5 a mais de ATR, eles compravam mais contratos.

Existem várias outras técnicas para entrar progressivamente num trade, como por exemplo:

  • A cada vez que o papel andar X% na direção esperada (como fazia o Pat Hearne do MduOdB).
  • Quando X candles seguidos fecharem acima/abaixo de suas máximas/mínimas anteriores.
  • Se surgir algum sinal forte de entrada em uma escala temporal menor.
  • E é claro, se você opera arbitrariamente, quando achar que deve.

E sua entrada deve ter quantas “fases” no total?

Depende também.

Se quiser começar com 50% da posição desejada e 50% depois, vá em frente. Se quiser dividir em 3 blocos diferentes, divida. Apenas fique de olho para não entrar rápido demais, (i.g. 80% antes e 20% depois), ou pior, entrar devagar demais e deixar dinheiro em cima da mesa (i.g. 5% no começo, depois mais 10% ou 15% e por aí vai).

Então Vale a Pena Utilizar Entradas Progressivas?

Em alguns casos sim.

Trend-followers de futuros principalmente se beneficiam bastante pois essa estratégia de entrada garante perdas realmente pequenas no caso de falsos rompimentos, e lucros substanciosos em trades lucrativos. Afinal, se um trade já começa mal, não justifica gastar mais dinheiro nele, ao ponto que se o trade vai bem, é bom aumentar sua posição para tirar o máximo de proveito do movimento.

Resumindo: uma questão de bom senso, pra variar. 😛

Agora, apesar da idéia de entrar aos poucos para ver no que dá (e se der em alguma coisa, entrar mais a fundo), parecer ótima na teoria, infelizmente ela não é tão fácil de ser seguida com disciplina. O que acontece é que quando você compra uma ação e ela sobe, fica psicologicamente desconfortável comprar mais dessa ação porque ela vai parecer “cara demais”.

Ou seja, alguns traders poderão congelar.

Obviamente aí entra todo aquele papo sobre comportamento do trader, que ele precisa fazer o que deve ser feito com disciplina e etc. O importante é, depois que um operador começa a utilizar as entradas do “método pirâmide” e se acostuma, em vez de se sentir desconfortável, ele se sentirá mais seguro.

Para terminar, o estudo dessa estratégia é muito importante para todos os operadores.

É verdade que os trend-followers podem se aproveitar mais da ideia mas na verdade, ela pode ser utilizada em vários tipos de metodologias de trading, sejam elas à favor da tendência, contra, ou em qualquer uma que faça sentido.



Descubra Como Conquistar a Sua Independência Financeira Em Apenas 10 Anos Investindo Só R$200 Por Mês!

Você vai descobrir...

  • Porque as maneiras mais populares de se atingir a independência financeira só estão fazendo você perder tempo (e oportunidades).

  • Quanto tempo você realmente tende a levar para atingir a sua independência financeira.

  • Porque a bolsa de valores pode acelerar a sua acumulação de capital em mais de 2x com toda a segurança do mundo.

  • O quê fazer para conquistar os seus objetivos da maneira mais rápida, fácil e simples possível.


12 Comentários Como Usar as “Entradas Progressivas” Nos Trades e Turbinar os Seus Resultados

  1. Ricardo

    Olá Hugo

    Então, acredito que stop ATR, é um tanto, quanto longo, para os movimentos que os ativos fazem atualmente. No livro do Jesse, acredito que ele usava esse sistema, pois não tinha ferramentas, como nos hoje temos, para identificação de tendencia,ele tinha que operar pelo bom senso, apenas observando o book, ou pior uma fita cuspida por uma maquina estranha.

    Tambem não sei qual é o tempo medio das operações que voce realiza, mas eu costumo entrar com com todo o capital destinado a operação, porem com o um stop um pouco menor que o ATR ( geralmente de no maximo 2%), e o movendo para cima, forme o trade for evoluindo, é um metodo, como voce sempre diz, e concordo plenamente, o que importa é se voce se da bem com a operação, e ela traz dinheiro.

    Grande abraço

    Ricardo

    Responder
    1. Hugo

      Ricardo:

      O stop ATR é mais indicado para operações trend-following, ou seja, vários dias, semanas e até alguns poucos meses. Em todos os outros casos ele pode parecer longo mas para aqueles que operam seguindo a tendência e em períodos mais longos, o stop atr até pode parecer longo mas não é. E por isso em operações mais curtas entrar de uma vez pode ser indicado, afinal, se você ficar escalando, o trade vai embora.

      Mas eu não entendi o que você quis dizer com stop de no máximo 2% :S

      Paulo:

      Os turtles faziam o seguinte: se 1 ATR representasse 1 real, eles aumentavam suas posições assim que o papel subisse (num trade comprado) ou fosse pro saco (num trade vendido) em 50 centavos. Como você pode ver, eles entravam aos poucos mas não tão lerdamente. Ainda acho que 0.5 é rápido demais mas como não testei esse valor, não posso falar muita coisa 😛

      Thiago:

      Isso diminui demais a frustração 😀

      Ser stopado logo no começo com uma posição de teste dói muito menos do que entrar tentando f*der o papel e perceber que o f*dido será você heuaheauehauhea.
      Para falsos rompimentos, podemos entrar com delay, como o Jesse Livermore (pra variar) fazia. Se o canal vai de 20 até 30, em vez de comprar em 30.01, compra em 31 ou 32. Na verdade no How to Trade in Stocks ele dá um exemplo muito parecido.

      Acho que vou escrever sobre isso depois 😛

      rogger_rabbit:

      Faz tempo que eu não vejo esse filme! Pior que era legal, só não lembro direito como era uehuaehaueh

      Anyway, aparentemente você se tornou um investidor involuntário. Escrevi sobre isso no post “Trader perdedor? Nada a ver! Agora sou um Investidor!” ou algo assim 😛

      Cara, o segredo é fugir como um covarde (quase todos os heróis são burros e morrem) quando o trade vier na sua direção, ficar administrando o trade quando tudo der certo e é claro, “apostar” pouco (1%-5% explodindo) em cada operação. Agora, sem aprender isso, o sucesso é praticamente impossível. Então boa sorte ao se livrar de trades ruins! Ou você sofre um pouquinho agora ou morre depois. A escolha é sua 🙂


      Abraço,
      Hugo

      Responder
  2. Paulo

    Hugo,
    como o Ricardo, eu também costumo entrar com todo o capital destinado a operação de uma vez. Mas não descarto a idéia das entradas progressivas. Essa tática parece batsante boa.

    Agora, quando você valou sobre os Turtles, o que exatamente é esse aumento de 0.5? Quando o mercado ficava mais volátil eles compravam mais? Não entendí muito bem…

    Por último, acho que sua tática inicial de separar 1/3 do capital por trade foi muito boa para um iniciante. Acho que a maior parte deles entrava com 100% do capital. Eu mesmo! rsrs

    abs
    Paulo

    Responder
  3. Thiago

    Hugo,

    Eu estava testando entradas progressivas ha um tempo atrás (50% + 50%), porém tbm utilizava estratégia de fazer preço médio caso o papel caísse.

    Após estudar o novo ponto de entrada em num suporte importante, comprava mais por um preço menor e utilizava um stop em cima do meu PM, obviamente.

    Isso diminui um pouco a frustração de ser stopado, é como se tivesse 2 vidas, 2 chances! E isso de certa forma tbm nos protege um pouco dos falsos rompimentos.

    E o que vc falou sobre entradas progressivas depois de uma alta, realmente essa barreira existe, mas aos poucos conseguimos quebrá-la.

    Abraço,

    Thiago

    Responder
  4. roger_rabbit

    Ola pessoal,
    Tenho tentado fazer entradas progresivas em petro4. Entrei com 50% qnd estava 34 reais, perto de um rompimento (pra mim, parecia um OCOi se formando). Me lasquei e resolvi casar com o papel (expectativa pre-sal etc). E fui colocando 10% da reserva pra petro (nos momentos q achava q ia virar), até chegar nesse mes de agosto.

    Ou seja, me ferrei. Pelo menos por enquanto. Qq coisa espero 100 anos pra pegar o dinheiro de volta.

    Sei la, opero desde 2005, antes com fundos e agora com papel. A unica certeza q tenho de toda minha experiencia é q são poucos os momentos q “sabemos” o q estamos fazendo. Em geral, vc da sorte e vai na onda. Ou vc sai antes (e rapido) ou vai ter q esperar voltar a subir.

    Pelo menos pra papeis decentes. Nunca mexi com mico…
    Concordo q tem neguinho ai q “manja”, ou seja, acerta mesmo. Mas to começando a achar qeles usam modelagem matematica, ou qq coisa q o valha. Ou entao eu sou um azarao mesmo. Fato: nao desfaço operaçoes perdedoras. Vou até a empresa falir!!

    abraço

    Responder
  5. Paulo

    Não sabia dessa dos Turtles. É legal, mas é bem rápido também.
    Mas como tudo tem dois lados, o ruim de aumentar a posição quando um trade começa a dar certo é inputar um pouco mais de risco nele.

    Suponha um trade que deu certo e você subiu seu stop para o break even. Você então pensa: bem, está dando certo e acho que poderá dar mais ainda. Vou injetar mais uma grana agora. De repente aparece a virada e você perde grana num trade que já estava “seguro” com stop no break even. Isso é doloroso.

    Eu prefiro apostar num outro papel. Tem muita coisa na Bovespa e eu me sinto melhor apostando em um trade diferente e mantendo aquele que funcionou. Até tem aquele lance de papéis correlacionados… se você entrar 2x no mesmo papel a correlação é 1 (ou totalmente relacionada) ! 🙂

    abraços
    Paulo

    Responder
    1. Hugo

      Oi Paulo,

      O problema é que aí você terá muitas posições ao mesmo tempo. Um pouquinho daquilo, um pouquinho disso e por aí vai. Eu não gosto de segurar muitos papéis ao mesmo tempo. A idéia é, considerando que a maioria dos trades nunca se saem maravilhosamente bem, se você aumentar suas posições na boa, eventualmente quando aparecer um trade fantástico, você já terá nele uma grande posição com lucros ótimos.

      É verdade que você pode aumentar o risco e seu trade ir pro saco até antes do break-even, mas é assim que eu gosto de jogar. Mesmo porque quando sou stopado sempre acabo perdendo menos do que o esperado. O incômodo é grande, principalmente no começo, só que é mais psicológico porque dessa maneira você perde menos. Dói mais, porém perde menos.

      Acho que se você pensar como o Larry Williams: “Eu tenho quase certeza que esse trade será uma droga”, será mais fácil de encarar essa estratégia. Mas vai de cada um 🙂

      Ahh, eu não entendi essa do correlacionamento 😛
      Tem alguma coisa a ver com entrar tipo na CSNA3 e na USIM5 em vez de só na CSNA3? Boiei nisso hehehehe 😛

      Abraço,
      Hugo

      Responder
  6. Hugo

    Fala Hugo!
    é, o lance de papéis correlacionados é esse mesmo… papéis do mesmo setor podem ser bons exemplos.

    Se você compra CSNA3 e USIM5, como seu exemplo, e uma vai pro saco é grande a chance da outra ir também. Pode ser menos, pode ser mais, mas o movimento deve ser na mesma direção.

    As vezes o cara ama de paixão operar Usiminas, mas quer um segundo papel. Pode ser uma boa buscar algum que se movimente de forma não relacionada, nem diretamente e nem inversamente proporcional.
    Claro que isso é um conceito bem genérico. 🙂

    abs
    Paulo

    Responder
  7. Ricardor

    Olá

    Então, quando digo entorno de 2%, é que é um stop arbitrario, defino ele, conforme um suporte proximo, ou abaixo de uma LTA proxima, enfim, não utilizo um indicador especifico para determina-lo, porem ele deve ser curto.
    Tambem nesse caso, utilizo a técnica de tamanho de posição para cada trade, com base no tamanho do stop. Baseado naquele principio, que voce já falou de aqui, de perda maxima na carteira. Ex: Se a perda maxima na carteira é 0,5% por trade, e meu stop é 2%, o maximo e capital que posso colocar na operação é 25% do capital. É uma estratégia meio chula, mas consegui me adaptar bem a ela.
    Sobre o tipo de operação que faço, vou lhe dar alguns exemplos, pegue a VALE5, sexta feira. Havia testando seu topo, varias vezes e não o rompeu, qual a logica a fazer ? Alugar com stop acima da maxima do periodo. Agora pegue TNLP4, na semana passada, ai pelo dia 17, 18, qual a logica a fazer ?, comprar com stop abaixo do suporte… nesse caso… TOMA STOP NA CARA!, uahuahuahuhahua, fazer o que, a vida não é justa, acostume-se com isso.

    Espero agora ter sido claro ( Tomara que nunca escreva um livro, ou deixerei meu leitores perdidos, o tempo todo… ehehehhe )

    Grande Abraço, continue com o bom trabalho.

    Ricardo

    Responder
    1. Hugo

      Ahhh táhh… você é counter-trend trader. Entendi agora.

      Porque quando você disse que usava stop de 2%, pensei que fazia tipo: a ação está em 100 reais e você coloca em 98 e termina aí, nada de position sizing e tal. Alguns traders fazem errado, eles não entendem que o risco não é a distância do stop e sim, o proporcional do stop no position sizing. Você faz os dois (com PS de porcentagem) então beleza.

      Abraço,
      Hugo

      Responder
  8. Fjsherman

    Olá Hugo,

    Primeiro gostaria de parabenizar pelo formato do blog. Depois de ler alguns posts achei fantástico e inteligente. Principalmente por ser, de quebra, hilário! Além de aprender, dou boas risadas. O que na minha opinião absolutamente não faz do conteúdo algo menos sério por conta disso, muito pelo contrário, encontrei muitos pontos de vista que fazem todo sentido pra mim.

    Ok, minha dúvida: Carregar uma posição e efetuar entradas progressivas, é uma estratégia que pode ser pensada para swing-trades? Pergunto pois de maneira geral se explora movimentos que se desenvolvem em poucos dias. Vamos supor uma condição ideal onde o sujeito opera uma nova perna de alta, acionada por um rompimento de congestão clássico, e que o ativo mantém uma tendência de alta saudável. Se ele pensar como swing-trader, ele vai proteger assim que o movimento revelar fraqueza e emitir o primeiro sinal de reversão – que a princípio seria mais uma correção normal dentro da TA vigente. Ou seja, se ele fizer isso, tá seguindo a cartilha, protegeu o objetivo de lucro, fez o swing perfeito, mas muito provavelmente sairá no estope de proteção de lucro e não aproveitará um movimento mais longo sem que tenha que reiniciar um novo trade. Aí alguém diz: “mas o cara é swing-trader, é isso mesmo que ele tinha que fazer, se ele fizesse diferente seria um indisciplinado sem futuro!”

    É uma questão que tem me incomodado ultimamente. Não acho muito inteligente o sujeito que fez uma boa entrada pelo gráfico diário, encerrar ou enforcar o estope assim que o movimento provável foi atingido quando há grande probabilidade da tendência seguir. Mas pensar desta forma, não é conflitar com o “jeito swing de operar”? Ou tudo é uma questão de qual postura o sujeito vai adotar? Porque é fato, ao adotar esta estratégia, o swing-trader teria sempre que esperar no mínimo um segundo rompimento após sua entrada inicial para pensar em subir estope, o que seria a confirmação de continuação da tendência. Mas aí já não deixou de pensar e agir como deveria um bom “swing-trader” disciplinado?

    Gostaria de saber outros pontos de vista a respeito?

    Abs!

    Responder
    1. Hugo

      Oi Fjsherman e obrigado!

      A situação é simples, o swing trader pode atingir o seu “alvo” e sair do trade manualmente ou porque foi subindo o stop até ser stopado. Se ele voltar pro trade numa correção, talvez ele não seja um swing-trade e sim, um especulador assustado. Swing trades são curtos e rápidos, poucos dias. Não tem essa de correção, segundo rompimento e etc. Ele pode voltar depois sim, para um novo swing trade mas, se ele deixar o trade seguir seu rumo natural, ele apenas estará operando de forma besta uma linha de tendência de médio ou longo prazo. E você não precisa de um novo rompimento pra subir o stop, se vc estiver usando um atr, basta seguir a atr.

      Cara, se você está incomodado com esse lance de deixar dinheiro na mesa nos swing trades, talvez sua praia sejam os position trades ou perto disso, como os especuladores normais fazem. Swing é swing e position é position. Se você misturar os dois, uma hora ou outra vai dar merda.

      E é claro, no swing você também pode usar entradas progressivas, só que no caso elas são feitas baseando-se na subida de um stop atr curto ou então, de simples rompimentos no gráfico de 15 minutos ou algo assim. Só não pode se esquecer que essas entradas servem para testar se o trade tende a funcionar ou não, pra proteger o trader de falsos rompimentos. Mas se o trade estiver funcionando, você não enrola e aumenta a posição. Se parar para analisar, vai perceber que as entradas progressivas dos turtles eram bem rapidinhas até, a cada 0,5 atr apenas. Lembre, entradas progressivas não são sinônimo de entradas lerdas e enroladas.

      Blz?

      Abraço,
      Hugo

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *