As 5 Melhores Ferramentas da Análise Técnica

MACD, CCI, Fibonacci, Médias Móveis Ponderadas, Simples, Exponenciais, Adaptativas, Triplas, Quádruplas, Quíntuplas (talvez essas últimas não existam).

Índice de Força Relativa, Verdadeira e Mentirosa. Suportes, Resistências, Linhas de Tendência, Linhas de Telefone e de Nylon.

Momento, ADX/DMI, ADXR, Oscilador Chaikin, Estocástico, Williams %R, Ferrari %T, McLaren %Y, Red Bull %H…

Existem literalmente milhares de ferramentas para a análise técnica (ou gráfica). Se decidirmos estudar todas elas, incluindo suas variações, não terminaríamos nunca e consequentemente, faríamos 0 reais.

Além disso, dependendo de alguns fatores como do tipo de sistema de trading utilizado, a maioria dos indicadores técnicos não servem para a maioria dos traders. Alguns deles não servem para ninguém. Portanto é preciso muita calma e atenção ao escolher ferramentas que se adaptem bem ao seu tipo de metodologia de trading.

Porém nesse mar de opções, quais são as melhores ferramentas para se começar a estudar?

Para responder essa pergunta, apresento algumas das 5 ferramentas da análise técnica que melhor funcionaram para mim. Estude-as, teste-as e um dia, elas poderão servir para você também!

5 – Médias Móveis Simples e Exponenciais

Dizem que se você olhar para esse gráfico por 30 dias seguidos, entrará pela sua porta o George Soros dizendo que você tem problemas!

Começo a lista com as famosas e ridiculamente práticas médias móveis!

Sua maior utilidade é a de simplesmente detectar mudanças de tendência em um mercado. Escolha o tipo de média móvel, simples ou exponencial e aí, plote no gráfico duas médias com períodos diferentes (9 e 26 ou 17 e 34 etc). Então, quando a mais curta ficar por cima, compre. Quando ela ficar por baixo, venda.

Ferramenta fácil de se calcular, com um conceito simples de entender que é relativamente rápida para testar. Falarei muito mais das médias móveis em posts posteriores.

Tá, mas agora, se existem tantos bilhões de tipos e variações de médias móveis, porque escolhi as simples e as exponenciais? Simplesmen… Exponencialme… Porque elas são mais robustas, mais descomplicadas.

Muitos traders e/ou malucos tentam o tempo todo inventar a Super Mega Ultra Média Móvel e nunca conseguem resultados consistentemente melhores do que as médias mais comuns. Você lembra da idéia de que um trader não precisa reinventar a roda? Pois é, as médias móveis são algumas das primeiras rodas. São fundamentalmente bobas mas funcionam.

E é só isso o que importa.

4 – Stop de Volatilidade ATR

O ADVFN não calcula o Stop ATR automaticamente. O jeito é fazer na mão!

Dentre todos os tipos de stops, um dos que mais se destaca sem dúvidas é o interessante stop de volatilidade ATR.

Mundialmente conhecido pela sua utilização no sistema de trading dos turtle traders, o stop atr calcula onde você deverá colocar o seu stop-loss baseando-se na volatilidade do mercado no momento inicial do trade e em ajustes posteriores.

Além disso, pode-se utilizá-lo para calcularmos nosso position sizing (se quisermos que seja baseado na volatilidade também).

Ou seja, com o Stop ATR, podemos também descobrir quantas ações deveremos comprar ou vender à descoberto em um trade específico. Por isso ele mata dois coelhos num cajadada só. Depois ainda os frita e os serve com refrigerantes e espetinhos.

A maior força desse tipo de stop é que, como ele considera a volatilidade do ativo, é possível entrar mais pesadamente numa operação se a volatilidade for menor. Se o ativo subir, você ganhará mais. Se ele ficar doidão e subir e descer feito um esquilo apavorado, você perderá a mesma coisa.

Ferramenta que proporciona muitos trades com alto Risk/Reward.

3 – Estudo do Volume

Análise do Volume: Uma Arte Emocionante!

Esta é uma escolha ligeiramente polêmica.

Enquanto muitos traders como o Mark Minervini (entrevistado pelo Jack Schwager no Stock Market Wizards) consideram o estudo do volume como pouco importante, outros, como a Linda Raschke (entrevistada no The New Market Wizards) creditam uma boa parte de seu sucesso ao domínio dessa interessante ferramenta da análise técnica.

Basicamente o volume ajuda a indicar a força e a aceitação de um certo movimento.

Por exemplo, se no rompimento de uma resistência o volume for alto, é altamente provável que o movimento continue pois o mercado está “aceitando a mudança de preços”. Agora, se o volume for medíocre, é possível que esse rompimento seja falso. Vai ver um tiozinho comprador entrou em modo “berserk”. O volume também indica sinais interessante, como por exemplo, o de acumulação em um certo ativo.

Honestamente, não estudo mais o volume mas achei importante mencioná-lo como uma ferramenta técnica de respeito. Muitos o acharão útil. Apesar de não usá-lo mais, no curto período na crise de 2008 em que eu fazia day-trades, o achei fundamental.

2 – Linhas de Tendência

LTM: Linha de Tendência Mágica que se Desajusta Depois da Foto

Essa ferramenta define prováveis trajetórias para os preços de um ativo.

As LTDs funcionam quase como suportes e resistências, porém inclinados. Elas são mais utilizada por day-traders sem sistemas e grafistas puros já que são consideravalmente subjetivas e difíceis de serem sistematizadas.

Mesmo parecendo fácil desenhar linhas de tendência, muitos traders não sabem como fazê-lo. Eles cortam candles, ignoram caudas, consideram pontos irracionais para os traços e pior, muitas vezes procuram (e acham!) padrões gráficos ilusionários e acabam traçando LTDs em lugares onde elas não existem.

Explicarei como traçar corretamente LTDs mais para frente. Porém adianto que aqueles que sabem traçá-las, possuem em suas mãos uma ótima ferramenta para a análise técnica que, além de detectar suportes e resistências “inclinados”, consequentemente podem ser usadas como uma forma de stop.

Ok, todas essas são boas. Mas nem taaanto assim…

E é por isso que o prêmio de melhor ferramenta da análise técnica vai para…

1 – Suportes e Resistências

Jesse Livermore diria: “Se passar de 35…”

Suportes e resistências são formados pelas crenças, medos e esperanças de todos os traders que operam na bolsa de valores.

Ou seja, elas são a base que representa a manifestação psicológica da especulação. Sem essa base, não existiria especulação, não existiriam especuladores e, somando com outros fatores, os mercados se tornariam eficientes pois ninguém teria sentimentos. Seríamos todos robôs. E robôs não agem irracionalmente, logo, não formam Ss e Rs.

É muito importante lembrar que os Ss e Rs raramente são 100% certinhos. Por exemplo, se eu digo que um suporte se encontra em 45 reais, o que eu realmente quero dizer é: “Na área por volta de 45 existe um suporte”. Muitos não pensam nisso, esses traders querem pontos fixos, mas Ss e Rs englobam muito mais “áreas” do que pontos fixos. É claro que alguns pontos são comuns, por exemplo, números redondos. Mas de resto, melhor pensar em “áreas”.

No gráfico acima, notem como aparentemente a BBAS3 não passa de 32. É claro que em alguns pontos ela passou, chegou em 32.54 mas em média, ficou sempre batendo em 32.

Por isso seria uma idéia boba comprar o ativo assim que ele rompesse a “barreira” dos 33 por exemplo. A chance do rompimento ser falso seria muito grande. Logo, seguindo o conselho de Jesse Livermore em How to Trade in Stocks, um bom ponto de entrada seria depois dos 35.

Deixei seu indicador/oscilador/qualquer coisa de fora? Então fale dele! Comente 🙂



Descubra Como Conquistar a Sua Independência Financeira Em Apenas 10 Anos Investindo Só R$200 Por Mês!

Você vai descobrir...

  • Porque as maneiras mais populares de se atingir a independência financeira só estão fazendo você perder tempo (e oportunidades).

  • Quanto tempo você realmente tende a levar para atingir a sua independência financeira.

  • Porque a bolsa de valores pode acelerar a sua acumulação de capital em mais de 2x com toda a segurança do mundo.

  • O quê fazer para conquistar os seus objetivos da maneira mais rápida, fácil e simples possível.


20 Comentários As 5 Melhores Ferramentas da Análise Técnica

  1. José Carlos

    Cara… um segundo depois que li sobre as médias móveis eu fui aqui no grafix e coloquei elas no ativo usim3 e vi que essa porra que você falou faz sentido, simplesmente fiquei maravilhado em ver que isso que acabei de ler está acontecendo de verdade, tipo… WTFwasthat?!?!? =0

    Sou um iniciante e faz uma semana que tô lendo um livro que vi aqui no seu blog, Operando na Bolsa de Valores Utilizando Análise Técnica de Joseilton S. Correa, e muitas das coisas que li lá fazem muito sentido, como por exemplo os padrões de candles.

    Responder
    1. Hugo

      O legal das médias móveis é que elas são muito transparentes. Se você ver que uma linha cruzou a outra, não tem como racionalizar que o cruzamento não aconteceu. Como é uma ferramenta muito clara, não abre espaço para achismos. É claro que é imprecindível testá-las muito antes, porém, de forma geral, as MMSs e MMEs são bem sumpimpas 😛

      E eu falarei dos candlesticks ainda esse mês acho!

      Abraço,
      Hugo

      Responder
  2. Paulo

    Hugo,
    bacana esse tópico. Eu compartilho com você a preferência por indicadores mais simples.

    O que você acha do MACD? Se não gostar, o que acha ao menos da idéia de medir o quanto uma média móvel (seja simples ou exponencial) se aproxima de outra, e não apenas quando elas se cruzam? Obviamente antes do cruzamento houve uma aproximação.

    Essa aproximação pode ser um indício de cruzamento principalmente depois de ocorrerem movimentos bruscos contra a tendência principal, como talvez o que está ocorrendo atualmente (isso se esse movimento não significar uma inversão de tendência, claro).

    abraços
    Paulo

    Responder
    1. Hugo

      Olha, eu nunca fui tão fãn do MACD como o Alexander Elder.

      As divergências que o Histograma MACD apresenta em relação aos gráficos, são interessantes. Porém como são sinais subjetivos, ficam difíceis de serem sistematizados.

      E o MACD normal? Não sei, nos meus testes, as bobas médias móveis apresentaram resultados melhores. Mas vale lembrar que eu não me aprofundei tanto assim no assunto.

      Agora, no livro Mechanical Trading Systems do Richard Weissman, é mostrado uma considerável vantagem do MACD contra as médias móveis simples (9 e 26). O MACD era a melhor ferramenta técnica e as MMS eram a segunda melhor, todo o resto é pior e mais complicado.

      Meu conselho sobre o MACD? Backtest nele! De preferência com o excel 🙂

      BTW, acabei de ler na nova edição de Reminiscences of a Stock Operator que o Paul Tudor Jones recomenda o uso de uma média móvel de 200 períodos para detectar uma mudança na tendência primeira. Já tinha ouvido falar desse valor de 200 mas não sabia que o PTJ fazia isso 😛

      Abraço,
      Hugo

      Responder
  3. Mario Takashiwa

    Essa média de 200 períodos não funciona bem não viu?

    Você entra tarde demais e sai tarde demais também. É possível que no final das contas o seu dinheiro vire pô.

    Recomendo o ADX, ferramenta que eu achei mais útil até agora 🙂

    Responder
  4. Bolívar

    Gostei bastante de alguns artigos daqui, principalmente sobre trading systems que é onde tenho focado meus estudos desde que iniciei na bolsa de valores, posso dizer que adoro médias móveis e caso o investidor tenha disciplina, paciência e as médias bem calibradas para o papel e tempo gráfico operado terá sucesso no longo prazo. No curto período de tempo pode ser desastroso se pegar o mercado sem tendência (lateral), onde as médias podem gerar grandes prejuízos (pequenas perdas consecutivas). Então o segredo é seguir sempre para garantir a rentabilidade próxima do estudo, a gente não tem como saber se a próxima operação vai ser a que o papel vai bombar. Ainda sobre as médias móveis, essas estratégias normalmente erram mais que acertam, isso graças ao mercado andar apenas 1/3 do tempo em tendência, mas as operações que dão certo pagam toda a conta, se fizer o cálculo E = (PV*VM) – (PP*PM) visto no outro artigo vai ver que é bem interessante. Bom se alguém tiver interesse em realizar back test com médias móveis eu e alguns amigos desenvolvemos um sistema a algum tempo para automatizar o processo e decidimos oferecer este serviço, se alguém tiver interesse http://www.winstrategy.com.br/p/back-test-service.html.

    Abraço e Sucesso pro Sr. Mercado!

    Responder
    1. Hugo

      Oi Bolívar!

      Uma coisa que ajuda em mercados laterais é usar um position sizing variável. Aumenta quando está ganhando e diminui quando está perdendo. Fica extremamente difícil dar merda assim. Pode ficar um pouco de dinheiro na mesa também… aí vai do gosto e tolerância ao risco de cada um.

      Abraço,
      Hugo

      Responder
  5. Tess Pereira

    Caraca não entendi nada!acho que preciso de muito mais ajuda do que imaginei mas vamos lá iniciante é assim mesmo!!!!!!rs
    Hugo o que vc me indica a fazer para tentar compreender melhor esse assunto? 😛

    Responder
  6. jmariani

    Olá. Algumas vezes utilizo o ADX como indicador, quando o DI+ está subindo e o DI- caindo ou quando o ADX está cruzando a linha de 20 para cima ou ainda nas situações aonde o DI+ cruza o DI- o primeiro ascendente e o segundo descendente.
    Não sei se como melhor ferramenta, mas o que o Sr acha do ADX???

    Responder
    1. Hugo Teixeira

      Olha, pior que eu nunca usei essa ferramenta.

      As que eu uso são sempre ridiculamente simples, ou seja, médias móveis, canais de donchian e só. Acima disso não faz o meu tipo.

      Então sinto muito em não poder ajudar porque essa é uma daquelas que nunca me animaram muito. 🙁

      Responder
  7. Thiago Carneiro

    Olá Hugo, vejo que você é um grande fã de S/R. Gostaria de saber como você faz para identificar falsos rompimentos?

    Outra coisa, vi que em 2010 você recomendou fazer backtests do MACD no Excel. Você ainda recomendaria testá-lo somente em planilha ou tbm no Amibroker?

    Abs e parabéns pelo Blog.

    Responder
    1. Hugo Teixeira

      Não tem como identificar na hora, só depois mas aí já é tarde. O que você pode fazer é usar um filtro de médias móveis para evitar comprar em tendências de baixa, onde os falsos sinais mais ocorrem… mas até isso pode criar ruído no sistema. De qualquer forma um filtro simples pode te ajudar a melhorar a qualidade dos sinais. 🙂

      Testar em Excel é loucura, doidera total, difícil e eficiência quase nula. Use o Amibroker.

      Responder
  8. henrique

    parabéns pelos valiosas informações, mãos gostaria de saber se tem como colocar uma media móvel no atr pois quero operar com este indicador eu tenho o metatrader4 como faço?????? obrigado

    Responder
  9. alberto

    Hugo, de tudo que eu já li e estudei a respeito de ferramentas- e não foi pouco- as suas considerações foram, de longe, as mais honestas e objetivas. atualmente tento compreender melhor o atr, para aplicá-lo no mini-indice, o sistema é parecido com o PARABOLICO, porem determinando mais rápido as entradas e saidas. existe algum detalhe a mais desta ferramenta que vc poderia esclarecer? grato, um abraço.

    Responder
    1. Hugo Teixeira

      Oi Alberto,

      Eu peguei as informações da ATR diretamente dos materiais do Van Tharp, um dos caras que popularizou o ATR na forma de Stop.

      Porém, em relação a essa ferramenta, o uso dela como stop é esse mesmo, bem simples. Caso você queria saber mais, o que na minha opinião não é muito necessário (mas é legal), recomendo o livro do cara, o Definitive Guide to Position Sizing que é beeeeem complicado mas explica bem alguns dos vários modelos de position sizing. Novamente, não acho necessário pois é o que eu expliquei, tudo simples e para saber os valores ideias, se são 2 ou 3 ou 2.5 no multiplicador, o único jeito de descobrir é testando o sistema… 😉

      Responder
  10. Pedro Gaspar

    Olá Hugo, estou começando agora no mercado do Forex e já entendo bem do assunto, porém gostaria de Dicas, como formas de analisar uma tendência, posicionar Stop Loss e Take Profit.
    Atualmente estouatuando com o DEMO do FxPro

    Responder
  11. Klaus

    Hugo, pra mim a maior dificuldade é em focar em algumas ações e acompanha-las até o sinal chegar (seja ele MM, Donchian, etc). Acabo sempre por vasculhar uma infinidade de ações e sempre tem algumas dando entrada, o que me faz perder o foco. Como você faz para escolher quais ações acompanhar? Obrigado.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *