Como Investir BEM no Tesouro Direto (Perguntas e Respostas)

Se tem uma aplicação que aos poucos ganha popularidade, apesar das pessoas ainda acharem que a caderneta de poupança é um investimento, esse investimento é o Tesouro Direto.

Como ele ainda é um pouco desconhecido pelo público geral, resolvi criar esse post para responder algumas das perguntas mais importantes sobre ele e também, para dar uma mão em quer começar a investir nesse títulos o mais rápido possível.

Obviamente aqui você não vai encontrar técnicas avançadas e nem nada, mas se você quer começar a aprender sobre investimento, você com certeza está no lugar certo!

Enfim…

Espero que você aproveite esse guia! 😀

Será Que o Tesouro Direto é Mesmo Seguro?

Antes de qualquer coisa, preciso tirar essa dúvida tão comum e, a resposta, felizmente é sim!

A forma de investir mais segura do Brasil é através do Tesouro Direto porque essa segurança vem da casa da moeda, que faz parte do Tesouro Nacional, ou seja, de maneira bem simples…

Se o dinheiro acabar para pagar os seus títulos, o Tesouro Nacional manda fazer mais! Por isso a segurança de tais títulos é bem alta.

Pode ocorrer de um governo dar o calote em sua própria dívida interna? Pode sim! Mas é muito difícil! Na realidade, um governo não teria motivos para aplicar um calote interno, mas como nada na vida é garantido, o calote pode sim ocorrer.

Comparado aos títulos assegurados pelo FGC, por exemplo, o Tesouro Direto é mais seguro? Sim! O FGC não tem garantia do governo federal, sendo um fundo independente, constituídos pelos próprios bancos.

Ou seja, se por ventura o dinheiro do FGC acabar, ou haver uma derrocada de bancos em série, exigindo um alto pagamento aos correntistas e investidores, pode acontecer do FGC ficar sem dinheiro, deixando de pagar a garantia para alguns investidores.

Portanto é preciso ficar bem atento aos investimentos! Mas de qualquer maneira, o Tesouro Direto ainda é o ativo mais seguro do Brasil.

Pois é, mas como funciona esse Tesouro Direto? O que é isso? Quando eu compro as letras do programa de investimento, estou adquirindo o que?

O Que São as Letras do Tesouro?

Do mesmo jeito que funciona na grande maioria dos títulos de renda fixa, as letras do Tesouro são partes da dívida nacional.

Ou seja, de maneira bem similar a um CDB que nada mais é do que uma dívida que o banco faz com o investidor, a letra do tesouro é uma dívida que o governo federal faz com você!

Você, caro leitor passa a ser um credor do governo federal! Em outras palavras, você acaba financiando muitas coisas no governo.

A primeira vista pode parecer uma coisa não muito interessante (ainda mais quando vimos o que o nosso governo está fazendo com o Brasil), mas aplicando um olhar mais critico, podemos encontrar bons motivos para investir no Brasil.

Querendo ou não, estamos ajudando o nosso governo a ter dinheiro para investir em novos projetos, e incrementar o orçamento, por outro lado, o juro pago pelo Tesouro Nacional é muito bom!

Sem dúvidas, o Brasil é um dos países com a taxa de juro mais alta, e o juro real mais alto do mundo! Tudo isso ajuda ainda mais os investidores conservadores de nosso país (mesmo observado o ciclo de redução da Selic).

Vamos deixar a explicação sobre o juro mais a frente. Por enquanto vamos focar no Tesouro Direto! Já sabemos que existem letras que se beneficiam do juro, mas existem outras que se beneficiam da inflação, e de uma taxa prefixada.

Quais Tipos de Investimento (Letras) Existem?

O Tesouro Direto possui letras para todos os gostos e as letras que fazem parte dele são:

  • Tesouro IPCA + (NTN-B Principal);
  • Tesouro Selic (LFT);
  • Tesouro Prefixado (LTN).

As letras mencionadas acima são produtos financeiros que não pagam juros semestrais. Caso o investidor esteja interessado em contar com pagamento semestral de juro, segue o nome das letras:

  • Tesouro Prefixado com Pagamento Semestral (NTN-F);
  • Tesouro IPCA + com Pagamento de Juro Semestral (NTN-B);

O Tesouro Selic não possui uma versão com pagamentos semestrais. Somente as letras indexadas ao IPCA e prefixadas possuem tal alternativa.

Por se tratar de investimentos que podem ser bem longos, as letras que pagam juro semestral são uma ótima alternativa para remunerar os investidores aplicados nesses produtos.

Enquanto o vencimento não chega, os pagamentos semestrais vão remunerando e equilibrando as contas dos investidores.

Dentre as opções citadas, a preferida dos brasileiros é o Tesouro IPCA + com pagamento de juro semestral, e sem o pagamento.

Devido a proteção contra a inflação, os brasileiros acabam aderindo ao título! Faz todo sentido não é verdade? Nosso país, não faz muito tempo, teve uma das maiores inflações desse planeta.

Cada letra mencionada possui características diferentes, portanto uma estratégia diferente. Sendo assim, separamos uma parte de nosso guia, para falar sobre cada uma!

Mas antes disso precisamos falar de algumas coisas práticas do Tesouro Direto!

Quais Ferramentas Eu Posso Usar Para Investir?

Para começar a investir em títulos públicos, o investidor vai precisar abrir uma conta em uma corretora independente (mais vantajoso) ou através das corretoras dos bancos (menos vantajoso).

Depois de efetuar o seu cadastro, você terá que solicitar a sua corretoras que faça a inscrição no Tesouro Direto. Dessa maneira você recebera uma senha para iniciar os seus investimentos!

Mas antes de continuar nossa explicação sobre abertura de conta e funcionalidades de dentro do site, precisamos mostrar algumas informações que o leitor pode ler já na página do Tesouro Direto.

Existem diversas informações, algumas não tão relevantes, e outras que vão começar  fazer parte da sua vida, daqui para frente! Segue uma breve lista com algumas informações que o leitor poderá estar vendo no site do Tesouro:

Esses cinco pontos são só alguns. Analisando a página do Tesouro podemos encontrar diversas informações. Definitivamente, o site é bem transparente, coisa que ajuda muito os investidores! Principalmente os mais desconfiados!

Quanto Custa Uma Letra Do Tesouro Direto?

Ao entrar na página do Tesouro Direto, o investidor vai se ver de frente com um painel tendo seis ícones. Dentre deles teremos o “Títulos a Venda“.

Clicando nele, o investidor poderá conferir os valores de cada título, de maneira bem similar a imagem acima. Por meio dessa tabela os investidores podem acompanhar de perto a evolução de seus papéis.

Sem precisar, ficar acessando constantemente sua conta no Tesouro Direto, ou até mesmo da corretora. Os cálculos utilizados para verificar qual é o saldo em conta são bem simples.

Vamos supor que o investidor tenha comprado uma letra inteira de Tesouro Selic (LFT). A mesma foi adquirida por R$ 8.000,00. De acordo com a tabela acima, uma letra inteira de Tesouro Selic estaria valendo R$ 8.910,52! Ou seja, rendendo um lucro de aproximadamente R$ 910,52.

Lógico, nesse pequeno exemplo, não mencionamos a tributação envolvida caso houvesse um resgate. O Tesouro Direto, como qualquer outro investimento, sofre retenção de IR na fonte, na incidência de um resgate.

Mais a frente teremos informações sobre! O leitor pode ter observado que existe um valor mínimo destacado na tabela também. Esse valor mínimo é exatamente o menor valor que pode ser aplicado em cada letra.

Qual é o Valor Mínimo Que Eu Posso Investir?

O investimento mínimo que podemos fazer no Tesouro Direto é de R$ 30,00. Esse é o patamar mínimo para entrar no clube dos investidores no Tesouro. Não é nada muito alto, acredito que grande parte dos brasileiros deve conseguir comprar 0,01 de uma letra.

Aliás esse 0,01 é mais uma métrica utilizada na hora de adquirir títulos público! Você não é obrigado a comprar uma letra inteira do tesouro, até porque existem letras que valem mais de R$ 8.000,00 (como já foi visto antes, o caso do Tesouro Selic).

Bom, então temos o valor mínimo que é de R$ 30,00, e sabemos também que o menor valor possível para investir em uma determinada letra é de 0,01 dela.

Vamos fazer um rápido exemplo analisando os títulos que temos na tabela dos valores, podemos verificar que existem papéis que possuem valores abaixo dos R$ 700,00. Fato que impediria do investidor comprar 0,01 do mesmo.

Pegamos o Tesouro IPCA + com vencimento em 2045, essa letra tem o valor de R$ 664,97. Então, 0,01 dela seria nada mais do que R$ 6,65! Sem chances, estaria abaixo dos R$ 30,00 mínimo.

Portanto, dependendo da letra escolhida par investir, você terá que comprar uma participação maior, para poder se encaixar no valor mínimo.

Não é nada que vá mudar a sua vida, mas é o tipo de detalhe que pode evitar alguma interpretação equivocada mais a frente.

Em Quais Horários e Dias Eu Posso Negociar Os Títulos?

Isso é outra coisa de fundamental importância não é mesmo? Nem sempre conseguimos manter nossos investimentos blindados contra saques, ou resgates de emergência. Por isso é preciso saber como funciona essa liquidez diária dos títulos públicos.

O Tesouro Direto funciona todos os dias úteis da semana, portanto, não espere efetuar um resgate, ou um investimento no final de semana, e tão pouco em um feriado.

Lembrando que feriados regionais, como feriados municipais não influenciar no horário de funcionamento do Tesouro Direto, já feriados federais, aí sim, vão influenciar no funcionamento do Tesouro.

A liquidez diária como dizem realmente existe, mas não é bem assim, feriados e finais de semana, o Tesouro não funciona. Outra coisa que o investidor deve ficar de olho são com os horários.

O Tesouro Direto está aberto a compra de títulos a partir das 9:30 da manhã até as 18:00 horas! Ou seja, depois desse horário, ou melhor, depois das 18 horas o Tesouro fica fechado, sendo possível agendar investimentos, e consultar os valores dos títulos.

A consulta nesses momentos serve para dar uma base ao investidor, uma vez que é bem provável que na abertura do Tesouro Direto, os valores das letras tenham se alterado.

É Verdade Que Os Investimentos Podem Ser Suspensos?

Em dias de forte volatilidade e até para a manutenção, os títulos do Tesouro podem ficar suspensos. Em outras palavras, o investidor não vai conseguir efetuar o resgate, e tão pouco investir!

Um momento onde isso ocorreu recentemente, foi quando a denuncia contra o presidente Temer veio a tona no caso da JBS. Como a notícia foi divulgada após horário do pregão da bolsa, e inclusive o Tesouro Direto já estava fechado, o outro dia foi marcado pelo “circuit breaker” alta no juro futuro, e claro, suspensão dos negócios do Tesouro, diversas vezes no mesmo dia.

Antes daquele dia, era possível comprar títulos, como o Tesouro IPCA pagando juro prefixado próximo dos 5% ao ano. Após os fatos, o rendimento da letra beirou os 6% ao ano! Ou seja, uma excelente oportunidade se abriu para os investidores!

Agora não é o momento de falar sobre juro e oportunidades, vamos falar disso mais a frente! Já que estamos falando sobre suspensão do Tesouro, então vamos comentar sobre a central de avisos do Tesouro.

Através dela o investidor pode acompanhar as novidades que ocorrem no operacional do tesouro. Como suspensão, manutenções, entre outras coisas, que diariamente podem ocorrer.

Esses avisos são divulgados em uma espécie de rodapé na parte de baixo do site…

Em minha opinião é muito importante saber sobre tais avisos. Quando situações onde oscilações nos preços das letras prefixadas podem ocorrer, é preciso ter conhecimento de que horas até que horas o Tesouro Direto ficara suspenso, para poder se preparar, caso haja necessidade de fazer uma venda, ou quem sabe uma compra.

Nos momentos de forte stress do mercado, é quase certo que o Tesouro ira suspender suas operações por algum momento. No caso referente a JBS, o evento foi prejudicial ao governo. Com a confiança abalada, o mercado fez o dólar disparar cerca de 8% no dia, e a bolsa cair.

Outro item super importante, é a calculadora presenta no site do Tesouro Direto, através dela podemos fazer diversos cálculos, e elaborar estratégias de investimento!

Como Usar a Calculadora do Tesouro Direto?

A calculadora é uma poderosa ferramenta, que pode ser utilizada com o propósito de elaborar estratégias e determinas cenários de investimento.

Entrando na página do Tesouro Direto, o usuário pode ir até a guia de “Títulos a Venda”. Depois, logo ao lado direito, você encontrar uma lista com diversas opções, dentre delas a calculadora!

Ao clicar na aba, o investidor terá acesso a calculadora. Dependendo da opção de letra, a calculadora sofrera algumas modificações em sua estrutura.

Segue imagem da calculadora para calcular investimento em letras do Tesouro IPCA +:

Dentro da opção títulos podemos escolher entre os papéis com pagamento semestral ou não. Até o Tesouro Selic é possível fazer uma simulação.

Lembrando que tudo isso não passa de uma simulação, somente para dar um horizonte ao investidor. As coisas podem se alterar no futuro, inclusive os investimentos aqui elaborados.

Então, a data da compra e do vencimento são importantes, aliás, todos os campos devem ser preenchidos! Se o investidor não preencher simplesmente o negócio não vai da certo.

Por meio das datas de aplicação e de vencimento, você poderá analisar em quanto tempo, quanto tempo é preciso para conseguir obter tal resultado.

O valor investido é o mais interessante. As taxas podem ser alteradas conforme o tempo, principalmente quando o investidor escolhe algum produto com taxa prefixada.

Diariamente as taxas prefixadas sofrem alterações, desse modo, o investimento pode exigir mais dinheiro para conseguir alcançar determinado resultado dentro do período escolhido.

Em outras palavras: se a taxa do juro subir, ou a taxa Selic aumentar, o investidor pode precisar de menos dinheiro aplicado, ou até mesmo um tempo menor para alcançar o objetivo.

Agora se o inverso ocorrer, o investidor vai precisar colocar mais dinheiro na empreitada! A taxa do papel será sempre alterada até o investidor realizar a operação.

O investidor até pode elaborar simulações com taxas que não são praticadas no momento pelo Tesouro, somente para ver o que ocorreria, mas não espere que no curto prazo um título que está sendo negociado próximo dos 5,5% ao ano, chegue aos 7% ao ano!

Por isso, se o investimento for ocorrem em um prazo curto, estabeleça estratégias mais coerentes, com as taxas praticadas no momento dentro do programa de investimentos federal.

Taxa administrativa cobrada pela corretora é outro item bem importante e que pode reduzir o seus ganhos no Tesouro Direto. Acredito que antes mesmo de abrir a conta em uma corretora, ou até mesmo investir na mesma, o investidor faça uma simulação com a taxa praticada pela mesma.

Faça isso só para ver quanto de taxa você estaria pagando para investir. Se a sua corretora não cobra taxas administrativas, melhor! O campo pode ser preenchido com zero mesmo.

Taxa de inflação! Aqui é uma taxa mais difícil de presumir, mas levando em consideração o centro da meta inflacionaria, podemos colocar aqui 4% ao ano.

Lembrando que recentemente o governo alterou a meta para 4,25% em 2019, e 4% ao ano para 2020. Portanto, já considero os 4% ao ano em simulações do Tesouro Direto.

Uma vez que a maioria dos investimentos possui o vencimento para depois de 2020, ou seja, é bem provável que nesse período o IPCA já fique dentro da casa dos 4% ao ano.

Depois de preencher todos os dados na calculadora, podemos clicar em calcular. Uma tabela, logo abaixo ira mostrar todos as informações necessárias. Com elas o investidor poderá tomar sua decisão, segue:

Nessa tabela temos inclusive a projeção de imposto de renda que incidira sobre os rendimentos apurados! Definitivamente a calculadora do Tesouro é uma mão na roda!

Na parte superior, ou melhor, nas quatro linhas temos a quantidade de dias corridos, e os dias úteis que existem dentro do período onde o dinheiro ficara aplicado.

Logo em seguida temos o valor liquido investido, rentabilidade bruta, as taxas de negociação e administração dos papéis, o valor bruto e por dia o valor do resgate bruto.

Nessa simulação o valor obtido, por mais que seja bruto foi muito interessante. Dentro de aproximadamente 28 anos, o investidor conseguiria algo próximo de 13 vezes o valor aplicado.

A taxa de custodia se refere à taxa praticada pela BM&F para manter os papéis. Infelizmente essa taxa não tem como deixar de pagar. Depois, um pouco mais abaixo, temos a alíquota de IR praticada na retenção, que foi de 15%.

Por se tratar de um investimento muito longo, o IR teve a menor alíquota possível, 15%. Finalmente, depois de todas as retenções de IR e de custodia, o investidor consegue verificar o saldo liquido que ira receber.

Observando a simulação, o saldo ainda é muito atraente, sendo 11 vezes o valor investido! Isso que estamos levando em consideração uma inflação dentro do centro da meta para 2020, de 4% ao ano.

Se por acaso a inflação for para cima no meio do período, é possível que o valor aplicado fique ainda maior Do mesmo jeito que é possivel que a inflação vá para baixo, e até o centro da meta seja alterado para baixo.

Fato que ocasionaria em uma redução no rendimento, e consequentemente, no valor final da aplicação.

Além dos papéis atrelados ao IPCA mais juro prefixado, temos os papéis com pagamento de juro semestral. O preenchimento de dados é da mesma forma, o que vai mudar aqui, está relacionado a tabela com os resultados:

Lembrando que utilizamos as mesmas informações da última simulação para desenvolver essa. Mesmo não existindo um título com pagamento de juro semestral com vencimento para 2045, segue:

Essa tabela só vai aparecer para as simulações com títulos com pagamento de juro semestral. Analisando a tabela, podemos ver que ela possui diversas páginas, sendo que a mostrada aqui é a de numero 1.

Ao mostrar a tabela, a calculadora faz os cálculos de trás para frente, mostrando no início, como ficaria o valor do título.

Ainda na tabela podemos observar diversas informações, dentre delas o valor de custodia cobrado em cada pagamento de juro, o valor bruto do pagamento e o liquido, além da alíquota de IR cobrado sobre o rendimento.

Novamente, tudo isso não é uma certeza que irá acontecer, mas serve para dar uma base ao investidor que está pretendendo elaborar alguma estratégia utilizando títulos públicos.

Quando o assunto é títulos com juro prefixados, então a calculadora pode modificar alguns itens, veja como fica a calculadora para elaborar estratégias com títulos prefixados, ou Tesouro Prefixado (LTN e NTN-F).Nesse caso pegamos um Tesouro IPCA com vencimento mais próximo, para 2020, sendo que a taxa prefixada é de 9,52% ao ano.

Um rendimento que em minha opinião não é aquelas coisas, porém, se o cenário político melhorar, e todas as reformas estruturais forem adiante, acredito que não teremos uma inflação tão alta no curto e médio prazo, e muito menos contar com oscilações no juro.

Os outros dados permanecem os mesmos, sendo que o valor do IPCA nesse exemplo não aparece mais, devido a letra não contar com a correção pela inflação.

Enfim, os resultados, tanto para o título com pagamento único, quanto para o de pagamento semestral é basicamente o mesmo do que o Tesouro IPCA +. Sendo assim, não vejo necessidade de mostrar aqui como ficaria o resultado.

Com relação as LFT, ou Tesouro Selic a simulação é basicamente a mesma que a do Tesouro Prefixado, sendo que no campo da taxa, o investidor vai colocar a taxa Selic que permanecera no período.

Nessa hora, o investidor pode tentar traçar uma média da taxa. Por exemplo, no momento em que escrevo esse artigo a Selic está em 10,25% ao ano, mas as expectativas são de 8,5% até o final do ano, se o investidor quiser elaborar uma estratégia com uma margem de segurança, seria interessante colocar uns 8% ao ano.

Sendo que esse valor funcionaria como uma espécie de média do período. É possível que a Selic volte para os dois dígitos, como também não seria estranho, caso a inflação não volte, que a Selic vá parar perto dos 5% ao ano.

Quem sabe? Não é verdade? Vamos falar sobre as corretoras credenciadas no Tesouro Direto, e aproveitar esse momento e comentar como realizar as aquisições de títulos através da plataforma!

Como Encontrar Uma Corretora Para Investir?

Já fizemos um artigo falando sobre corretoras, segue -> Quais São as Corretoras Mais Baratas da Bolsa de Valores?

Dentre das corretoras listadas temos algumas que não cobram taxa administrativa, e ainda contam com integração ao sistema do Tesouro, coisa que pode facilitar muito a vida do investidor!

Vamos lá então, para conseguir conferir a lista integral das corretoras o investidor vai precisar ir até a página do Tesouro, no mesmo lugar onde foi para conferir a calculadora, ao invés de clicar na aba da calculadora, na parte superior haverá a aba com as instituições credenciadas:

Clicando na aba, o investidor vai poder conferir uma lista bem completa, que traz o nome da instituição, e ao lado o valor que a mesma cobra de taxa administrativa.

Nessa lista temos duas ótimas informações, a primeira está relacionada ao credenciamento da instituição junto ao Tesouro, fato que pode evitar abrir a conta em um lugar que não está devidamente credenciado.

Segundo, antes mesmo de abrir a conta em determinada corretora, podemos analisar se a mesma cobra ou não taxa administrativa. Utilizando a calculadora, o investidor vai poder ver quanto pode se beneficiar caso escolha essa ou outra instituição.

Nesse trecho da lista podemos ver que nenhuma instituição cobra taxa administrativa. Coisa que a alguns anos, não era assim. Foi só a primeira corretora praticar tal atitude que as outras começaram também.

Enfim, só beneficio para o investidor! Existe ainda na lista o prazo de repassasses dos recurso. Esses dias podem variar de corretora para corretora, mas na grande parte, os repasses acontecem de um dia para outro.

Não é bem uma liquidez diária como um CDB de um grande banco. Bancos como Itaú, Bradesco, Santander e outros liberam o valor do CDB quase que instantaneamente.

Lógico, é preciso verificar o produto antes de investir. Caso seja um CDB daqueles progressivos com liquidez diária é possível efetuar o resgate antes, mas se for algum que não possui liquidez antes do vencimento, então não há  o que fazer.

Vamos pensar em uma situação aqui: digamos que o leitor tenha uma letra do Tesouro Selic sobre custodia em uma dessas corretoras (com prazo de D+0 para resgate), então o mesmo faz o resgate em uma sexta feira, será que no sábado o dinheiro estará na conta e poderá se transferido?

Não! É bem provável que o dinheiro venha parar em sua conta na corretora na segunda feira antes do meio dia, e posteriormente o leitor poderá efetuar ou um novo investimento com a quantia, ou o resgate para sua conta no banco. Isso me faz lembrar de mais um ponto! O investidor precisa ser um pouco “pão duro” e observar se a corretora cobra o TED para o regaste.

Antes também não era uma prática muito comum as corretoras isentarem o cliente do TED de resgate. Inclusive havia algumas que cobravam mais do que muitos bancos cobravam,

Coisa que só desestimulava a transferência de valores para as mesmas. Sabe, se o investimento não fosse dar certo, ou quem sabe a quantia fosse pequena, valia mais a pena permanecer no banco do que transferir e ainda pagar a transferência.

Principalmente com aplicações que funcionavam como reserva de emergência. Esse tipo de reserva costuma ter movimentações mensais.

Atualmente boa parte das corretoras também estão isentando o cliente de tal taxa. Aliás esse movimento ganho mais força com os bancos digitais.

Uma das vantagens dos bancos digitais é não contar com taxas. Ou seja, é possível realizar quantas transferências você quiser, simplesmente sem pagar nada por isso.

Enquanto um TED em um grande banco pode custar até R$ 10,00 (se não mais) em um banco digital a mesma transferência pode sair de graça! Por isso fique de olho nas taxas que são cobradas nas corretoras, antes mesmo de abrir a conta!

Como Descobrir Os Valores Históricos Dos Títulos?

Essa dica aqui é muito interessante. Não a considero essencial, mas é muito interessante. Ainda não falamos com profundidade sobre a marcação a mercado das letras, mas através desses históricos, que podemos baixar em planilhas Excel, o investidor vai ter o valor diário de cada letra que existe no Tesouro Direto

Vamos supor que o leitor queira saber o histórico referente ao ano de 2016 do Tesouro IPCA + com pagamento semestral que têm vencimento em 2035. Acessando a página do Tesouro você vai encontrar tais informações.

Acessando a página do Tesouro da mesma forma como já foi mencionado, o investidor vai encontrar no quadro a direita, uma série de opções, sendo que a penúltima é balanços e estatistas:

Clicando nessa aba em destaque o investidor vai cair na página com diversos dados referentes as letras do Tesouro, dentre eles temos os históricos das coações:

Clicando nas respectivas letras dentro de cada ano, o investidor vai ter acesso a uma planilha contendo as letras com os seus respectivos vencimentos, além, é claro, da cotação da letra.

O valor que aparece no quadro de preços dos títulos nada mais é do que o real valor do papel naquele exato momento. Na verdade é o valor de mercado do título. Normalmente os papeis de renda fixa, vão com o tempo se valorizando. Portanto, é como se todo o dia, o título ganhasse um pouco mais de valor.

No caso do Tesouro Direto somente o Tesouro Selic (LFT) faz isso.

Observe na planilha:

Podemos ver tanto pelo PU de compra quanto pelo PU de venda que a LFT com vencimento para 2023 esteve constantemente em valorização.

Pequena e gradual, de maneira muito similar, ou até igual aos títulos de banco, como o CDB. Agora quando pegamos uma letra do Tesouro IPCA + (NTN-B) podemos ter uma boa surpresa com sua evolução, segue:

Antes de tudo, vamos esclarecer as linhas coloridas de nossa tabela:

  • Linhas em verde são dias onde o título teve uma forte valorização, superior a produtos convencionais de renda fixa.
  • Linhas em vermelho demonstram desvalorização, fato que dificilmente, ou simplesmente, nunca ocorre com papéis de renda fixa.

Em minha opinião, não seria muito comum observar uma valorização de pouco mais de R$ 20,00 em um papel de renda fixa (com investimento inicial de aproximadamente R$ 670,00), com 2 dias de investimento, não é verdade?

Isso ocorreu com o Tesouro IPCA + da tabela, entre os dias 08.02 até 10.02. Outra coisa que o leitor pode notar, durante essa valorização, a taxa que o título pagaria para um novo investimento, sofreu uma boa redução.

Ou seja, o juro prefixado, que compõem o rendimento do Tesouro IPCA, quando sofre desvalorização, acaba valorizando a letra também.

O contrario também ocorreu em nossa tabela. Houve alguns momentos onde o papel teve uma desvalorização. Coisa que definitivamente não vamos ver tão cedo em títulos de bancos vinculados ao DI, por exemplo.

Sete dias após a primeira valorização mais contundente do título, o papel apresentou desvalorização de aproximadamente R$ 13,00. Bem mais de 10% do seu valor.

Essa oscilação ocorreu no dia 17.02 e ainda contou com uma valorização do papel, passando de uma taxa prefixada de 5,37% do dia 16 para 5,44% no dia 17.

Depois ainda temos mais algumas linhas marcadas em verde e vermelho que podem ser analisadas pelo leitor. Mais a frente, teremos outros exemplos demonstrando que em situações onde a economia não anda nada bem, sofrendo diversas oscilações, os títulos que possuem parte de sua remuneração, vinculados a juro prefixado, sofrem muito também.

Como Começar a Comprar Títulos do Tesouro?

Agora que já sabemos o que são os títulos públicos, já temos noção de varias ferramentas disponíveis no site do Tesouro Direto, e também temos em mão uma lista muito importante com as corretoras credenciadas, vamos aprender como efetuar as transações através do site do Tesouro.

Nenhuma compra ou venda é feita sem ser através do portal do investidor dentro do site do Tesouro Direto. Dependendo da corretora que o cliente for escolher para realizar seus investimentos, é possível comprar através da mesma. Uma instituição que possui tal integração é a Easynvest. Fora ela, infelizmente eu desconheço qualquer outra.

Enfim, na hora de abrir a conta na corretora, o investidor precisa solicitar o seu usuário e senha, para pode ter acesso ao site do Tesouro.

Tendo em mão o usuário e a senha para acessar sua conta no site, é hora de iniciar as aplicações, ou pelo menos conhecer como funciona o Tesouro Direto.

Lembrando que não existem taxas e tão pouco algum valor de manutenção, quando você for realizar a abertura de cadastro no Tesouro Direto. Com os seus dados em mãos, o investidor vai precisar ir até a página do Tesouro Direto, clicar em “Já é investidor? Clique aqui” (conforme a primeira imagem dessa parte do artigo)

Depois, logo a baixo, irá abrir um campo semelhante a ultima imagem, com o “investe já” e abaixo, “investidor cadastrado” clique no investidor cadastrado!

Então será preciso colocar seu CPF e senha para conseguir ter acesso ao seu perfil. Lá o investidor poderá acessar seus protocolos de investimento, agendamento, ou resgate.

E assim observar como andas os processos. Geralmente eles não costumam demorar muito para serem concluídos, fora quando o investidor solicita um resgate ou investimento em uma sexta feira (é bem provável que a operação só será realizada na segunda feira, ou no próximo dia útil).

As compras e vendas dos títulos só são liberadas nos horários que já mencionamos anteriormente. Então, se o investidor entrar depois das 18 horas para tentar comprar algum papel é bem provável que não consiga mais realizar a operação. O campo com a quantidade de letras não estará disponível, sendo que um campo com o valor do investimento ira aparecer no local.

Eu recomendo o investidor esperar pelo dia seguinte para realizar a compra ou venda. No mais todo o procedimento é bem seguro e muito fácil.

Como Não Ser Suspenso do Tesouro Direto?

Então, isso é realmente possível…

A explicação longa é a seguinte:

O investidor precisa ter o dinheiro na conta da corretora para poder sacramentar um investimento (em minha opinião, antes mesmo de fazer a aplicação pelo site do tesouro é interessante contar com o dinheiro na conta da corretora, então, para evitar problema, deposite um pouco mais, a título de margem).

Caso sua compra de papéis não tenha lastro na corretora, ou seja, a compra foi feita no site do Tesouro, mas não havia dinheiro na conta para cobrir, nada de mais acontecera com o investidor, você só recebera um comunicado mencionando o ocorrido, simplesmente não haverá a compra dos papeis.

Porém se isso ocorrer novamente, ele pode vir a ficar 15 dias suspenso do Tesouro Direto, e com uma nova reincidência, haverá uma punição de 30 dias, continuando com a reincidência, a punição pode passar aos 60 dias!

Segue lista de perguntas e respostas do próprio dite do Tesouro, com tal esclarecimento:

Em situações onde o investidor precisa contar com a possibilidade de investir em papéis do tesouro, a suspensão, mesmo que de 15 dias, pode vir a prejudicar muito.

Imagine contar com um período de boas taxas em títulos prefixados, como o Tesouro IPCA ou Tesouro Prefixado, porém, devido a um equivoco, você acabou solicitando um investimento, sem haver dinheiro na conta. Ficar de fora do jogo durante esse período, é prejudicial.

Só mais um detalhe, a suspensão não vale para as vendas. Portanto o investidor pode ficar tranquilo que é possível continuar vendendo os seus papéis.

Qual é o Máximo de Dinheiro Que Eu Posso Investir?

Para os investidores que pensam em aplicar mais de um milhão de reais no Tesouro Direto, é preciso ficar atento aos limites de aplicação. Quantias superiores a um milhão de reais, deverão ser investidas em mais meses. O limite do Tesouro Direto é de um milhão por mês.

Então, caso o leitor tenha essa quantia em algum banco, e está analisando a possibilidade de aplicar esses recursos no Tesouro Direto, acredito que seja melhor ir pensando rápido, para aproveitar melhor o tempo e se beneficiar das boas taxas que o programa de investimento federal oferece.

Já sabemos que o investimento inicial é de R$ 30,00. Sendo possível comprar até 0,01 de uma letra, a menos é claro, que o valor final não fique abaixo dos R$ 30,00.

Considerações Finais!

Investir no Tesouro Direto, sem duvidas é a opção mais segura que temos no Brasil. O investidor pode escolher aplicar em um CDB ou LCI observando o FGC, mas se lembre que o Tesouro conta com garantia do Tesouro Nacional.  Coisa que o FGC não possui. Na realidade o FGC é um fundo independente, que possui um bom saldo em conta para amortizar possíveis perdas do sistema, mas não conta com a ajuda do governo em caso de uma situação mais grave. Por isso fique de olho!

Falando um pouco sobre os recursos que encontramos na página do Tesouro Direto, posso dizer que as ferramentas oferecidas pelo site são ótimas.

O investidor pode verificar as cobranças das corretoras, como também realizar simulações de investimento. Sem mencionar a transparecia com relação a suspensões de negociações e os históricos dos valores.

Mesmo que o investidor não tenha como acessar a conta para verificar o saldo, ele pode observar o valor das letras, pelo próprio site. A única coisa que ele vai precisar saber é a quantidade de letras que possui. Pronto, é só verificar o valor de mercado do título é já estará sabendo o saldo.

Isso é muito importante em situações o onde o investidor quer se beneficiar de um lucro de curto prazo. Já vimos um pouco, mas em artigos mais a frente veremos melhor. Papéis com juro prefixado podem se beneficiar das oscilações do mercado!

Dentre as ferramentas citadas, gostaria de destacar a calculadora do Tesouro, que pode ajudar muito os investidores que gostariam de ter um valor de referencia no futuro.

Nas duas simulações que fizemos, ficou claro que a calculadora é uma mão na roda, e pode ser muito útil a todos investidores.

Outra cosa importante está relacionada às negociações no site do Tesouro. O investidor vai precisar abrir uma conta em uma corretora, ou verificar com o banco, onde já é cliente a possibilidade de investir através do Tesouro.

Depois disso é preciso fazer uma conta para poder acessar a página. Logo em seguida com a senha recebida e o CPF, o investidor já pode ter acesso a todas as funcionalidades do programa de investimento federal.

Tudo isso é muito simples de ser feito. Lembrando que é preciso ter dinheiro na conta da corretora para poder executar as operações de compra. Caso não haja saldo suficiente para honrar a compra, o usuário estará passível de suspensão temporária no Tesouro.

As transferências de valores entre o banco e a corretora devem ser efetuadas observando o regulamento da corretora, ou seja, geralmente através de transferência bancaria do tipo TED ou DOC.

As compras são concluídas em no máximo D+1 depois da abertura da operação. Então é bom estar com o saldo da compra na conta, porque no dia seguinte a solicitação, é muito provável que o Tesouro já faça o debito na sua conta na corretora.

Observando todos esses pontos mencionados aqui, vai ficar fácil investir e conseguir extrair o máximo do Tesouro Direto!

E é isso aí!

Espero que tenha gostado do artigo e que comente.

Caso queira saber mais sobre o Tesouro Direto, inclusive técnicas avançadas, não deixe de conferir a análise do curso “Segredos do Tesouro Direto” que eu escrevi aqui.



Descubra Como Conquistar a Sua Independência Financeira Em Apenas 10 Anos Investindo Só R$200 Por Mês!

Você vai descobrir...

  • Porque as maneiras mais populares de se atingir a independência financeira só estão fazendo você perder tempo (e oportunidades).

  • Quanto tempo você realmente tende a levar para atingir a sua independência financeira.

  • Porque a bolsa de valores pode acelerar a sua acumulação de capital em mais de 2x com toda a segurança do mundo.

  • O quê fazer para conquistar os seus objetivos da maneira mais rápida, fácil e simples possível.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *