O Dia Em Que Warren Buffett Quase Autografou Minha Nota de 1 Dólar

Em 2015, mais precisamente no dia 09/09/2015 resolvi escrever uma carta para o Sr. Warren Buffett. Não seria uma carta comum, e tão pouco fácil de fazer.

Até aquele momento, me encontrava sentado, de frente a minha escrivaninha, escrevendo uma carta através do Word. A carta parecia ter contornos de um artigo, que naquela época, já estava me acostumando a fazer.

As palavras que sempre eram em português, agora deveriam ser em inglês. Por mais inteligente que o Sr. Warren Buffett fosse, ele provavelmente não compreende o português.

Em fim, estava ali, escrevendo em português, e com o Google Translate do lado, tentando construir a carta que enviaria no outro dia para o Sr. Warren Buffett.

Confesso que não estava muito esperançoso com uma possível resposta. Porém aquele carta, tinha características muito semelhantes aos investimentos.

Pura ironia. Warren Buffet é o investidor mais rico do mundo, mas não é bem por isso que estava escrevendo para ele. Muitas coisas das quais ele tem por características, se assemelham as minhas manias.

Sem dúvidas, isso foi uma das coisas que me aproximaram do Oráculo de Omaha. A outra é a paixão por Coca-Cola. Refrigerante que hoje tento parar de beber, mas em minha infância bebia tanto quanto água.

O leitor pode estar questionando agora:

Que semelhanças essa carta possui com um investimento?

É simples, escrever uma carta, por mais que seja em inglês, alemão, italiano, ou seja, lá qual for à língua, tecnicamente não é tão difícil. Com o Google Translate, a carta não vai ficar perfeita, mas será compreensível até certo ponto (lógico, o assunto não poderá ser complexo).

Então estamos presumindo, até aqui, que o escritor vai gastar tempo para redigir a carta. Talvez algumas horas. Depois, com tudo pronto, chegou a hora de comprar um envelope e uma folha, fazer a impressão da carta (não fiz a mão porque minha letra é horrível) e ponto! Colocamos os endereços, e vamos aos correios.

Até aqui o custo é mínimo. Talvez não chegue a 1 real, contando de forma unitária cada produto utilizado na confecção da carta. Nos correios, temos que pagar o envio da carta. Eu fiz um AR (Aviso de recebimento).

Já que minhas esperanças por uma resposta eram bem pequenas, ao menos queria assinatura de alguém quando recebesse minha carta!

Bom, ao final, toda essa brincadeira me custou menos de R$ 50,00. Não sei qual foi o valor, mas desconfio que não chegou aos R$ 40,00, foi algo pouco inferior a essa quantia, (mas vamos arredondar para cima, para garantir!).

Beleza, vamos dar continuidade a historia. Além da carta estava um artigo que escrevi para o jornal da minha cidade. Moro em uma cidade no interior do sul do Brasil, e escrevia para um jornal da cidade.

Inclusive tinha a minha própria coluna “Coluna do Investidor”. Na própria carta estava contando um pouco sobre a minha pessoa, falando como eu admirava Warren Buffett e etc. Ao final, eu fiz um pedido, para que Warren Buffett se pudesse, assinasse uma nota de um dólar (que enviei junto).

Como está descrito no titulo do artigo, a minha nota aparentemente não voltou assinada, mas o que será que houve?

Antes de falar sobre o que aconteceu, vamos falar um pouco mais sobre as minha motivações que fizeram eu escrever essa carta!

Tudo começou quando eu decidi que queria um dólar autografado pelo Warren Buffett!

Como eu falei anteriormente, não havia riscos ao escrever para Warren Buffet. O máximo que poderia acontecer é perder o investimento de pouco menos de R$ 50,00 e aquelas horinhas escrevendo a carta, além do meu um dólar! Lógico!

Mas fora isso, eu já estava contente em só escrever para ele. Pensava que ao menos, aquela carta, de alguma maneira chegaria perto do Oráculo de Omaha.

É bem provável que a carta nunca tenha pousado em suas mãos, ou seja, nem lida por ele deve ter sido. Vamos ser sinceros, ele é bilionário, controla diversas empresas, ele não tem muito tempo para ler cartas.

Até porque existem milhares de pessoas no mundo que devem enviar cartas a ele, tentando se comunicar de alguma forma, nem se for para receber uma resposta (ao menos isso eu recebi).

Então eu estava bem tranquilo. Caso minha carta não fosse respondida, o importante era tomar a iniciativa! Porque no máximo o que poderia acontecer era ele responder, e ainda devolver minha nota assinada.

Essa era uma das motivações. O simples fato de não perder muito para conseguir algo muito grande (ao menos para mim).

A segunda coisa, estava relacionado ao investidor Warren Buffett. Lendo o livro A Bola de Neve, acabai me identificando com algumas passagens da bibliografia.

Entre elas, posso destacar aqui a vontade de guardar dinheiro, economizando, e assim investindo em novos meios de gerar renda.

Warren não investia somente por investir. Mas existia uma ideia por traz disso. A construção de novas fontes de renda. O trabalho braçal com certeza é uma fonte de renda.

Infelizmente para muitos, é a única fonte de renda. Mas ao economizar dinheiro, Warren descobriu que poderia ter mais fontes de renda. Mesmo trabalhando, após juntar um patrimônio relevante para um garoto, ele resolveu comprar um terreno para arrendar (alugar) e investiu em máquinas de fliperama com o mesmo intuito.

Ou seja, ele tinha ativos que geravam mais dinheiro para ele. Simultaneamente ele já iniciava seus negócios nos mundo dos investimentos. Antes de começar a gerar novas fontes de renda ele já tinha comprado sua primeira ação! Aos 11 anos!

Recordo-me que o meu primeiro investimento, que considero um investimento, foi uma letra do Tesouro Direto. Abri minha conta na Gradual (única corretora na época em minha cidade). Comprei uma letra inteira, uma LTN com vencimento para 2012. Tudo isso ocorreu no final de janeiro de 2010. Ainda me lembro do rendimento, era de aproximadamente 12% ao ano.

Naquela época não imaginava que um dia viria a escrever sobre investimentos, e que isso acabaria se tornando uma fonte de renda. Definitivamente a vida nos prega surpresas!

A terceira motivação está com relação às manias de Buffet, uma deles foi bem interessante. Na bibliografia do investidor, existe uma passagem onde é descrito o seguinte,  para economizar dinheiro com o filho recém-nascido, o mesmo dormia em uma gaveta improvisada de berço.

Isso aconteceu quando Warren e Susie moravam em Nova York. Ele morou boa parte da vida em Omaha (ainda mora!), porém, bem no inicio dos seus investimentos, antes de alcançar os 30 anos, Warren ficou um bom tempo em Nova York, trabalhando com o seu ex-professor Benjamim Graham.

Além da historia do berço, ele economizava com outras coisas, entre elas os seus ternos. Quase sempre os ternos dele eram maiores. Sendo que as ombreiras, as vezes, chegavam a passar das linhas dos ombros.

O mais engraçado, é que ele podia muito bem pagar por ternos mais justos, e um bom berço para o filho, mas ele não via isso como uma urgência, ou necessidade.

O gosto por Coca-Cola também é outra motivação. Em quase todas as entrevistas que Warren dá para alguma emissora de TV, existe um copo de coca para ao seu lado, segue vídeo com uma entrevista:

Logo no inicio da entrevista, se o leitor perceber, pode ver dois copos na mesinha do meio. Um desses copos, aparentemente está cheio de Coca-Cola!

Vendo que de certeza forma temos algumas coisas em comum, acabei me interessado cada vez mais por Warren Buffett. Lógico, nem tudo é semelhante, mas a paixão por investimentos, e de certa forma, e a simplicidade da pessoa acabaram me conquistando.

Quem sabe por um milagre ele me convida para ir lá na Berkshire Hathaway, não?

Foi exatamente isso que pensei! Porque não mandar essa carta? Não tenho muito a perder e muito a ganhar! Em Setembro de 2015 estava me preparando para ir aos Estados Unidos. Iria ficar aproximadamente 2 semanas em Nova York.

A probabilidade de isso acontecer era remota, era mais fácil ganhar na loteria do que ver Warren Buffett ao vivo e a cores. Mas novamente, não custava tentar.

Escrevendo a carta coloquei no envelope, junto a própria carta, a cédula de um dólar, na qual eu pedi para ele assinar mais uma folha do jornal da minha cidade, com minha matéria.

Os meus pedidos foram simples, autografar a nota e de um dólar e ver se eu poderia dar uma passada em Omaha para trocar uma ideia a respeito de investimentos.

O que aconteceu que me deixou perplexo foi que SIM, eu tive uma resposta!

Não foi simplesmente a carta, mas a pessoa que se denomina Debra Rey me mandou e-mail com a mesma resposta da carta. Então houve sim uma resposta via carta. Segue imagem da mesma:

Só por ter essa resposta, eu já me considerei um vitorioso. Ao ler a carta fiquei um pouco frustrado, mas ao menos, acredito que Buffett (se ele realmente leu, ou aumentos ficou sabendo) estava com a razão.

Respondendo a possível visita, Debra falou que Warren não receberia esse tipo de visita, e que eu não poderia o encontrar. Já com relação ao autografo na nota de um dólar, Buffett não faria isso, porque ele possui mais de 600 mil acionistas, e se ele assinasse minha nota (ou qualquer outra coisa) ele deveria autografar os itens dos demais investidores. Destacando, que eu não sou acionista da Berkshire Hathaway (somente cotista do IVVB11, devo ter uma ligeira participação indireta).

Enfim o famigerado dólar voltou, mas não assinado. Mesmo assim fiquei muito feliz em receber a carta resposta! Além de uma resposta por e-mail também.

Então eu peguei aquele dólar e comprei um Dunkin Donuts gelado!

Como eu estava viajando para os Estados Unidos de qualquer maneira, acabei gastando o meu dólar com:

Nada melhor que iniciar uma manhã com um belo copo de café gelado do Dunkin Donuts. Se não me engano, esse café custou mais do que um dólar! Foram necessários mais alguns dólares para adquirir esse refresco…

E aí, será que eu continuei escrevendo para aquele jornal?

Não! Infelizmente o jornal acabou fechando as portas.  Ainda durante minha passagem no jornal, comandando a Coluna do Investidor, comecei a escrever para outros blogs, até achar o Workana.

Através dessa plataforma digital de trabalho, onde é possível oferecer serviços como Freelancer,  o autônomo pode procura por trabalhos, e assim se candidatar.

Caso o empregador goste do portfólio do profissional, então os dois fecham uma parceria. Valores, datas para entrega e condições do trabalho podem ser discutidas antes do fechamento da parceria.

Depois que tudo está em ordem, então as partes fecham acordo, e o profissional pode iniciar o trabalho quando o deposito do valor total da proposta estiver sobre custodia do Workana.

Então o profissional pode ir entregando o trabalho em partes (caso as partes tenham concordado com essa maneira de entrega). Cada entrega, o empregador vai liberando partes do valor da proposta. Até o termino do trabalho.

Foi dessa maneira que conheci o Hugo! Proprietário do site Senhor Mercado! (espero que os artigos estejam agradando tanto os leitores quanto o Hugo!) =)

E será que eu ainda penso em escrever mais cartas para o Oráculo de Omaha?

Pretendo, ainda não tenho nada em mente, mas acredito que logo-logo escrevo mais uma carta! Caso isso venha se concretizar eu faço um artigo falando sobre a mesma!

É como eu disse no inicio do artigo, o risco maior, é de não ser respondido, simples assim. Você perde um tempo da vida montando a carta, e um pouco de dinheiro.

Mas vindo a resposta, ao menos você fica com um souvenir da carta de resposta! Querendo ou não, já é alguma coisa! Quem sabe não faço uma carta falando um pouco sobre as boas expectativas sobre a economia brasileira, e as possibilidades de fazer um bom dinheiro aqui no Brasil? (Se bem que ele deve saber de tudo isso já).

Aliás, é bem provável que o Oráculo de Omaha já tenha alguma ação de alguma companhia tupiniquim em sua carteira!



Descubra Como Conquistar a Sua Independência Financeira Em Apenas 10 Anos Investindo Só R$200 Por Mês!

Você vai descobrir...

  • Porque as maneiras mais populares de se atingir a independência financeira só estão fazendo você perder tempo (e oportunidades).

  • Quanto tempo você realmente tende a levar para atingir a sua independência financeira.

  • Porque a bolsa de valores pode acelerar a sua acumulação de capital em mais de 2x com toda a segurança do mundo.

  • O quê fazer para conquistar os seus objetivos da maneira mais rápida, fácil e simples possível.


2 Comentários O Dia Em Que Warren Buffett Quase Autografou Minha Nota de 1 Dólar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *