Porque Você Deveria Ficar Feliz (e Grato) ao Ser Stopado

Era uma rua deserta e ela não conseguia ouvir os seus passos.

Ele veio com toda a sua arrogância, força e desprezo e a atacou sem dó e nem piedade.

Depois de alguns momentos de sofrimento, ele foi embora, deixando-a totalmente sozinha.

Porém, o dano estava feito.

Ela não queria aceitar mas não conseguia ignorar que ela acabou de ser stopada em um trade fracassado.

E isso é ótimo.

Nesse post eu vou explicar o porquê.

O Stop Que Me Amava

Quando você compra uma ação, uma moeda ou qualquer outro ativo, das três coisas que podem acontecer, as duas mais comuns são:

  • Lucros;
  • Perdas.

É verdade que não existem problemas em relação aos ganhos e perder dinheiro nunca é bom, mas quando você é stopado e sofre uma perda pequena, o seu capital fica livre para ser investido em algum outro ativo.

Logo, é possível que após uma perda de R$10k na ação BLGA4, você aplique o que sobrou na KCCO4 e ganhe R$50k, zerando a perda anterior e ficando com R$40k no positivo.

Nesse caso, a perda é boa porque se o trade inicial não deu certo, pelo menos ele teve a “decência” de te stopar e deixar o seu capital disponível para outras operações.

Se o segredo do trading é garantir perdas pequenas (usando a Gestão do Dinheiro) e maximizar os lucros grandes (deixando os trades bons em paz), então ser stopado rapidamente é uma benção pois te dá mais oportunidades para perseguir os trades bons.

Logo, perdas não são agradáveis mas também não são ruins e não devem ser temidas.

Por outro lado, além de lucros e perdas, existe uma terceira possibilidade, uma mais rara e extremamente prejudicial…

Último Stop Em Paris

Sim, a pior coisa que pode acontecer no trading não é uma perda, é uma dança.

A dança é quando você compra um ativo e ele não sobe e nem desce, ele apenas fica lá dançando sem direção definida enquanto o seu capital fica preso a ele.

Será que o dinheiro estaria melhor em outro ativo?

Será que esse ativo ainda tem chances?

Boa pergunta.

O drama da dança é que apesar do trade não te ajudar em nada no começo, ele ainda tem a possibilidade de gerar lucros, o que te impede de vender os ativos sem um certo desconforto.

Por outro lado, a lerdeza do papel em te gerar um lucro ou acabar com o seu sofrimento com um stop, te coloca em um risco de estar perdendo uma oportunidade massiva em um outro ativo qualquer.

Se um trader pode ser stopado em 8 trades seguidos, sempre esperando por aquele provável lucro gigante, ficar preso a um papel indeciso gera um risco massivo de perder esse lucro gigante e fazer com que as 8 perdas não tenham servido para nada.

A solução seria um time stop, por exemplo “vendo o papel se ele não subir pelo menos 5% em duas semanas após um rompimento”, o que nem sempre funciona bem.

É por isso que as perdas comuns são melhores que danças, apenas porque elas raramente te custam oportunidades.

O Stop é Cego

Infelizmente nós vivemos em um mundo no qual todo mundo tem medo de tudo por todos os motivos e nenhuma das razões.

O trader que não aceita que vai perder dinheiro em pelo menos METADE do trades para compensar MASSIVAMENTE na outra metade, nunca terá chances de sucesso nos mercados porque ele simplesmente pensa errado.

Ele pode ler, pode estudar, pode ficar andando feito uma barata tonta viciada em crack atrás de indicadores novos ou configurações para ferramentas mas nada vai mudar o fato que para se fazer um omelete, você precisa quebrar alguns ovos!

  • Na bolsa você só vence se estiver disposto a perder, se você temer os stops e tentar diminuí-los, os seus lucros irão diminuir de forma hilária.
  • No amor você só vence se estiver disposto a perder, se você temer rejeições (que também são boas porque te deixam livre para ir atrás de opções melhores), você acabará sozinho ou pior, mal acompanhado.
  • No trabalho você também só vence se estiver disposto a perder porque sem aceitar a probabilidade de perda, sem aceitar o risco, você não vai chegar a lugar algum pelo motivo mais desprezível do mundo que é o “ter medinho de fazer algo errado, guti guti gu…”

Portanto, aceite que stops são bons pois eles liberam o seu capital e tempo para oportunidades melhores e da próxima vez que você for stopado, ao invés de dizer…

“Seu stop filha de uma pulga!”

…diga…

“Obrigado, seu stop filha de uma pulga!”

A lógica agradece.

🙂



Descubra Como Conquistar a Sua Independência Financeira Em Apenas 10 Anos Investindo Só R$200 Por Mês!

Você vai descobrir...

  • Porque as maneiras mais populares de se atingir a independência financeira só estão fazendo você perder tempo (e oportunidades).

  • Quanto tempo você realmente tende a levar para atingir a sua independência financeira.

  • Porque a bolsa de valores pode acelerar a sua acumulação de capital em mais de 2x com toda a segurança do mundo.

  • O quê fazer para conquistar os seus objetivos da maneira mais rápida, fácil e simples possível.


40 Comentários Porque Você Deveria Ficar Feliz (e Grato) ao Ser Stopado

  1. Marcelo Proni

    Hugo é impressionante como você consegue tratar de assuntos sérios com essa leveza e tornar os textos tão divertidos e ao mesmo tempo tão didáticos. Sempre me lembro dos livrinhos de estórias que lia quando criança. Parabéns!!!

    Responder
  2. Jean

    Vendo por esse lado que você fez o post… é melhor perder mesmo do que ficar “dançando” sempre na mesma, só que as vezes a emoção do medo é maior e nos deixa congelados sem fazer nada.

    Ótimo post!

    ps: lendo Trading In The Zone (to no finalzinho) o/

    Responder
      1. Jean

        Fala Franklin,

        Cara pior que em português vai ser difícil… o máximo que eu achei foi em espanhol, mas eu li em inglês mesmo. O inglês do livro é de bem fácil acesso xD

        Responder
  3. jose nilton gomes

    absorver uma perda é duro , porém se você já sabe que tem duas opção fica mais facil admitir que poder ou ganhar , como se fosse um jogo . Então e fazer com que as probabilidade fique ao seu favor , ou seja perde mais em pouco volume, e quando ganhar com volume , com controle sempre assumido o risco de perde .

    obrigado por esse comentário

    sem mais NILTON

    Responder
  4. Paulo Sparenberg

    Olá, Hugo. Tenho aprendido muito com suas publicações. Tenho “A triplice do trading” e “Como se tornar um trader e viver da Bolsa”. A maior dificuldade que sempre tive foram os STOPS. Principalmente quando o preço bate no stop e volta (e parecia que isso acontecia sempre). Como não queria realizar “perda” não colocava stop. Pensava: para que realizar perda se o preço volta?. Só que nem sempre o preço voltava, e quando voltava tinha levado tanto tempo, que percebi quantas oportunidades havia perdido em outros ativos, com o meu dinheiro preso. Pior ainda quando tinha que vender embaixo, para retirada. Muito bom post. Obrigado pelas publicações.

    Responder
  5. Caredan

    Escambo.
    A valha troca de objetos entre os homens das cavernas: uma lança por um pedaço de carne, uma sacola de trigo por uma faca….
    Não é possível nem imaginável conceber outra origem ao mercado do que o ultra-velho e garantido escambo que se mantém em perfeitas condições de uso mesmo em nossos dias: árabes trocam camelos por esposas, petróleo por água, promessas por ouro, palestinos e israelenses trocam a paz por uma nesga de terra, fundamentalistas trocam sua vida pela deles, traficantes trocam um pó branco sem valor alimentício ou medicinal pelo dinheiro que você tiver no bolso e por aí vai.

    Na grande maioria das vezes o escambo faz uma escala na viagem: o dinheiro.
    Se o cidadão trocou PETR4 por VALE5 porque a porcaria da petrobrás não sai do lugar e está com tuda para se transformar em uma centavista dentro de alguns trimestres, não importa o meio e o fim mas a base do processo foi escambo puro e simples.
    Comerciantes vivem de escambo: a mercadoria deles que você gostaria que fosse útil por essas folhas de papel bonitinhas que você tem no bolso.

    Quando o comerciante faz uma compra de 100 pacotes de macarrão a R$0,85 cada e imagina vender a R$2,50 gerando um lucro de 294% ele nem imagina que o maldito macarrão está contaminado com um fungo e não haverá tempo de vender todo aquele macarrão antes que se estrague em suas mãos e não nas mãos do freguês.
    Mas ele vendeu 80 pacotes. Ainda teve lucro.
    Naquele produto ele não vai arriscar investir nem mais um centavo.
    Produto ruim?
    Mas ainda há a água, a luz, os impostos sobre o terreno, o prédio, pagamento de salários, consumo de materiais para embalagem, contabilidade do que compra e vende, etc.
    Quando o comerciante abre a porta pela manhã ele conta com alguns prejuízos : os “seguranças”, os ladrões, o fisco.

    O trader não precisa comprar os cem pacotes de uma só vez, e ainda pode devolver ao mercado a grande maioria dos pacotes se o produto estiver contaminado pelo fungo dos maus fundamentos ou da reação adversa do mercado ao seu valor real.
    Ele pode ter grandes prejuízos se continuar tentando vender os pacotes de macarrão contaminados que ele comprou de uma vez só ou se demorar a devolver a mercadoria ruim mas se ele comprou apenas dez pacotes e os vendeu no momento em que percebeu a má compra ele fez o que todo comerciante faz e alguns têm um setor específico que visa apenas isso: prevenção de perdas.

    Quem pensar diferente na bolsa, terá grandes amarguras. Certamente.

    Caredan

    Responder
  6. Robson Ramos

    Vou ser sincero, não sou chegado a ler textos. Mas depois que comecei a receber os e-mais do Hulgo, ta defisio de parar de ler. Não é só o conteúdo que é bom e sim a maneira que são escritos por ele que nos da curiosidade de continuar lendo.

    Responder
  7. juliana

    Hugo,
    Depois do dia de ontem(06/08)foi bom abrir meu e-mail hoje e ler esse post.Ontem fui stopada 3 vezes.Mas tudo bem,“Obrigado, seu stop filha de uma pulga!” e obrigada Hugo por melhorar meu dia!!!!

    Responder
  8. Erick

    Isso é verdade, e você aprende mesmo na dor.
    Eu comecei a fazer trade em maio agora, então imagina o que aconteceu 100% stopped. hahaha Fiquei meio abalado, pensando: Pô logo no começo! essa porcaria só sabe cair, será que vai entrar em colapso? :/

    Mas no fim acho que esse drawdown foi uma boa experiência pra mim. Olhar no passado é fácil, difícil é ter psicológico pra encarar o presente.

    Responder
  9. thaise

    Ei, Hugo, o que você acha daquela história de que o sucesso está em não dizer tudo o que você sabe???
    Outra coisa (du vi do você responder) quantos % a mais do seu primeiro investimento você tem hoje???

    Responder
    1. Hugo Teixeira

      Acho que cada caso é cada caso.

      Eu digo tudo o que eu sei na boa porque eu sei que a – ) não me atrapalha nos mercados e b – ) a maioria só estuda, estuda, estuda e estuda e não faz nada ou não estuda nada e desiste.

      Quantos %. Como eu tirei capital para pagar impostos, meu salário e adicionei mais dinheiro com o passar do tempo, eu não sei ao certo. Devo ter de 6% a 8% do original.

      Responder
    1. Hugo Teixeira

      Não sei o que será do coaching porque a -) seria muito caro, b -) ocuparia muito tempo e c -) ainda estou tentando diminuir o volume de e-mails.

      Assim que resolver o problema do excesso de e-mails eu volto a pensar no coaching. 😉

      Responder
  10. julio

    Muito Bom! A minha unica ressalva é que isso só se aplicar perfeitamente a Traders mecânicos, mas o fundamento, ou seja, limitar as perdas é geral.

    Responder
  11. João Paulo

    Eu sei que foge um pouco do assunto do post, e que vc não curte muito o stop gain, mas e nunca entendi a diferença entre um stop gain e uma ordem de venda com validade “até cancelar”. A ordem não seria mais eficaz, por ficar “mais em cima” no livro de ofertas?

    Responder
  12. Andre

    Boa tarde Hugo,

    Como acabei de começar a fazer tradings, (decidi que só iria iniciar após ler os seus livros e organizar um plano de investimentos, e agora que esta feito, estou colocando a mão na massa). Estou com duvida sobre o prazo de vencimento que devo colocar em meus stops (1 semana, 1 mês, ad eternum…). Qual o prazo de vencimento você indica?

    Responder
  13. Saulo

    Hugo, você não é apenas um ‘Trader’. Não consigo te enxergar apenas assim.

    Você escreve muito bem, cara!

    Cara, você faz mágica com as palavras, dá mega lições, e tudo de forma descontraída, mas, ao mesmo tempo, você compele o leitor a acatar o bom senso que você está professando.

    Obrigado pelos artigos!

    Responder
  14. Gerson

    Post na mosca! Só pra variar: Fico com uma dúvida/medo/insegurança vou no google pesquisar sobre… acho um post do Hugo… pra variar, ele acerta na mosca.

    Baita texto.

    Responder
  15. Allan Lincoln

    Um ótimo texto , eu como sou um iniciante nesse percurso tenho muitas dúvidas e estou acompanhando o Hugo a pouco tempo mas que está me ajudando e muito não pelos livros indicados como as suas apostilas , mas vamo lá ainda tenho um caminho longo a seguir … vlw hugo vlw mesmo !

    Responder
  16. Allan Lincoln

    Um ótimo texto , eu como sou um iniciante nesse percurso tenho muitas dúvidas e estou acompanhando o Hugo a pouco tempo mas que está me ajudando e muito não só pelos livros indicados e as suas apostilas mas com dicas e conhecimento também , mas vamo lá ainda tenho um caminho longo a seguir … vlw hugo vlw mesmo !

    Responder
  17. Diogo

    Stop = perder a mão inteira, um dedo de cada vez. Quando ensina-se a massa a usar stop, fica fácil atingir todos numa única tacada. Se tiver que usar stop, considere usar stops maiores, longe dos pontos tradicionais. Os posicionamentos clássicos dos stops são iguais a ratoeiras, fuja deles. Claro, um stop maior também poderá ser acionado, gerando uma perda maior e esta deverá ser considerada no seu gerenciamento de risco e tamanho de posição. A questão aqui é de probabilidade, um stop maior tem probabilidade menor de ser acionado, menor chance de ser violinado. As raposas do mercado sabem onde os frangos dormem!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *