Porque Você Tem MUITA Sorte de Ser Um “Investidor Pobre”

Não se passa uma semana na qual eu não digo para alguém o seguinte:

“Sim, você tem pouco dinheiro, mas você precisa começar de algum jeito, nem que seja de baixo.”

Eu não digo isso para pôr panos quentes nos sentimentos daqueles “menos afortunados” mas sim, porque é a mais pura verdade.

Começar de baixo não é algo incomum, é a regra para a maioria dos investidores iniciantes oriundos da classe média, seja brasileira, americana, portuguesa ou de qualquer outro lugar.

E por ser a regra, talvez a ideia de começar de baixo seja melhor, talvez a ideia de começar sendo um investidor pobre seja mais atraente ou pelo menos, mais produtiva.

Não acredita? Então será por pouco tempo…

O Ciclo de Começar, Perder, Recomeçar

Um iniciante comum ouve falar da bolsa, começa a estudar um pouco, muito pouco, abre uma conta em uma corretora da bolsa de valores e então faz investimentos.

Só que quanto mais afobado, mais iludido e mais emocional, mais o iniciante tende a se queimar no começo.

E acredite, ele se queima, perde dinheiro, comete erros absurdos, sofre, se sente um lixo e por aí vai.

Quando a coisa fica difícil de aguentar, chega a hora de tomar uma decisão: continua ou desiste.

E é claro, neste ponto a maioria desiste, não porque esses iniciantes não têm a competência para continuar mas sim, porque as dores foram muito profundas e dolorosas.

Por outro lado, outros insistem e acabam melhorando muito com o tempo.

Mas como você pode deduzir, esse são poucos.

O Azar do Investidor Rico

Agora, a maioria desses iniciantes da bolsa de valores são adultos, casados, com filhos e que trabalham nos campos de engenharia, medicina e odontologia.

Tradução: eles já têm dinheiro e querem mais.

Só que quem já tem muito dinheiro e é “bem sucedido” em alguma área, vai tender a acreditar que se investir na bolsa, terá sucesso também.

Como essas pessoas acreditam que o sucesso vai acabar vindo de qualquer jeito, elas se tornam um pouco mais relaxadas com o dinheiro, mesmo porque sabem que é possível conseguir mais depois.

E com isso a bomba se arma: iniciante bem capitalizado + excesso de auto-confiança + vontade de arriscar muito.

O resultado é que quando tudo dá errado, a união desses fatores cria um efeito rebote no investidor:

Ele confia e arrisca além da conta, perde muito mais dinheiro do que devia e aí, sofre mais do que poderia com as perdas financeiras e com o fato de estar tão errado.

Para tentar recuperar o ego e o dinheiro, continua cavando o buraco, arriscando mais e atingindo novas máximas na escala dos iniciantes manés até chegar no limite e desistir.

Ou seja, ele até começa do zero educacionalmente, mas não chega nem perto de começar do zero financeiramente e ainda assim, quebra por relaxo.

A Sorte do Investidor Pobre

Por outro lado, o investidor pobre não tem dinheiro e se tem, é muito pouco.

Então, se ele fizer algo errado, vai se queimar mais rápido mas de uma só vez: é um chute no ego e acabou, dói mas passa, não chega a traumatizar.

E depois, se não desistir de primeira (sem muita dor), ele vai entender que nem adianta tentar uma segunda porque o capital é insuficiente.

Ou seja, ele fica impossibilitado de continuar errando, fazer bobagens, arriscar demais e assistir ao seu ego ser destruído  aos pouquinhos.

É neste ponto que se encontram os iniciantes que eu mencionei no começo do post: aqueles que precisam começar do nada.

A sorte deles é que considerando a falta de dinheiro, eles sabem que quando conseguirem algum, precisarão fazer tudo 100% corretamente senão já era.

Aprendendo Com os Que Já Foram

Ou você faz certo ou tchau.

Com isso, a pressão é maior, sim, mas você acaba compensando com estudos, justamente porque você sabe que não dá para desperdiçar capital como um mané.

Então você vai estudar feito um camelo para se certificar de que aqueles R$100 por mês serão muito bem investidos.

Você vai ler livros sobre as histórias dos grandes investidores, vai fazer backtests, vai se aprofundar, vai fazer de tudo para evitar que você precise aprender com os seus próprios erros porque sem errar, o seu pequeno capital será melhor preservado.

Em vez de pegar dicas para investir na internet ou ficar perdendo tempo se viciando na análise técnica, você vai preferir estudar o Warren Buffett ou o Jesse Livermore para aprender com os erros deles.

É aquela velha história:

“É muito bom aprender com os seus próprios erros, mas é muito melhor (e mais barato) aprender com os erros dos outros.”

Uma Questão de Oportunidades

Então a conclusão é essa:

A falta de capital força o investidor humilde a estudar mais e se preparar melhor para evitar erros em excesso no futuro, que é quando ele realmente terá um capital decente para investir.

E sem querer ser clichê mas já sendo:

Esses são os que melhor se saem na bolsa, pelo menos muito melhor do que os típicos médicos, dentistas e engenheiros, apenas porque eles não tiveram a chance de cometer algum erro absurdo que os traumatizassem para sempre.

Logo, da próxima vez que você estiver se sentindo mal por não poder “investir direito”, lembre-se que ficar apenas nos livros, simuladores e blogs sem investir 1 centavo no começo, pode ser a melhor oportunidade da sua vida.

Você vai estudar muito mais, vai errar muito menos, e com um preparo muito superior, terá maiores chances de sucesso…

Mas é óbvio, enquanto isso vá aumentando o seu capital porque saber de tudo e ter R$0 para investir também não adianta nada. 😛



Descubra Como Conquistar a Sua Independência Financeira Em Apenas 10 Anos Investindo Só R$200 Por Mês!

Você vai descobrir...

  • Porque as maneiras mais populares de se atingir a independência financeira só estão fazendo você perder tempo (e oportunidades).

  • Quanto tempo você realmente tende a levar para atingir a sua independência financeira.

  • Porque a bolsa de valores pode acelerar a sua acumulação de capital em mais de 2x com toda a segurança do mundo.

  • O quê fazer para conquistar os seus objetivos da maneira mais rápida, fácil e simples possível.


31 Comentários Porque Você Tem MUITA Sorte de Ser Um “Investidor Pobre”

  1. joao

    Post perfeito por descrever a minha situação. Veja só:

    “Logo, da próxima vez que você estiver se sentindo mal por não poder “investir direito”, lembre-se que ficar apenas nos livros, simuladores e blogs sem investir 1 centavo no começo, pode ser a melhor oportunidade da sua vida.

    Você vai estudar muito mais, vai errar muito menos, e com um preparo muito superior, terá maiores chances de sucesso…”

    Estou exatamente assim. Estudando igual um camelo desde Set/2010, mas sem capital suficiente pra começar. Aliás, já tenho até uma estratégia decente, mas pra timeframe maior.

    Como tenho (muito) pouco, acredito que investir numa escala temporal que permita stops menores é mais atrativo, pois aumentaria meu position sizing (geralmente prefiro o dos Turtles: ATR based), e isso significa intraday.

    Está sendo uma luta enorme, porque é quase impossível achar um trader decente na internet, ainda mais no intraday. E fora que o modo de enxergar o mercado é completamente diferente entre os position e os daytrader. Reaprender isso é bem difícil, e tenho medo de não encontrar uma fonte confiável como encontrei para TF maior (o SM, o blog do VP e os livros recomendados nos 2 são essa fonte).

    Muito bom começar a semana com um post que caiu como uma luva!

    Responder
    1. Elias

      E aí João..

      Minha situação é bastante parecida com a sua. Comecei a estudar de verdade no começo de 2011, e também tenho muito pouco capital..

      O curioso é que a minha estratégia para operar com pouco capital é exatamente o oposto da sua. Eu acho vantajoso operar em um TimeFrame maior, principalmente para “diluir” os custos de corretagem.

      Por exemplo:
      A corretora que eu uso cobra um corretagem de R$6,90 por ordem no fracionário.

      Se eu quiser comprar R$500,00 em ações vou gastar no R$13,80 só com corretagem (ordem de compra + ordem de venda), o que representa 2,76% do capital. Ou seja, a ação precisa subir 2,76% só pra cobrir os custos e sair no zero a zero.

      Claro que é possível que ela suba 3% no intraday, mas a chance de ela subir mais é muito maior quando pensamos em prazos de semanas, ou até meses…

      Aquilo que você falou dos stops curtos me leva a pensar que você está usando um Position Sizing baseado no risco. Eu uso esse tipo de PS, e o que eu fiz foi aumentar o risco para viabilizar as minhas operações, pelo menos enquanto eu estiver com pouco capital (não tenho muito a perder mesmo..). Talvez essa seja uma saída pra você também.

      Bom, isso é o jeito que eu penso. Mas como falei, estou começando agora e tenho muito a aprender. Com certeza tem gente aqui muito mais credenciada pra falar sobre esse tipo de coisa.

      Responder
      1. joao

        Elias, muito bom ver a sua resposta, ver que tem mais gente na minha situação!

        Então, na verdade eu tenho já um sistema pronto pra operar no Diário. Seguidor de tendências e tudo mais.

        Mas um SL no diário, baseado no ATR (é o que eu uso, stop igual dos Turtles) é grandinho. Aí pra operar com baixo risco (até 2%), implica pequeno PS. E… bom, eu pretendo operar de forma que, quando ganhar, seja um valor pelo menos mensurável, não centavos.

        Aí decidi ao menos estudar como é a música nos timeframes menores. Se não der certo, pelo menos vou aprender alguma coisa. O pior é tentar aprender sozinho.

        Responder
        1. Hugo Teixeira

          O Elias está certo: no longo prazo é melhor. Na verdade em qualquer prazo que não seja longo é impossível. Day trade, esquece.

          Se o PS estiver difícil, chute-o para 4% que ainda funciona bem, eu não disse isso no e-book (vai que o cara pensa, ah, se dá 4% então dá 5% ou 6% ou 10%…) mas funciona bem.

          Novamente, day trade, esquece.

          Responder
          1. joao

            Sim, para diluir custos sim, ainda mais se for na BOVESPA. Mas… nem só de BOVESPA vive o trader;

            existem mercados onde os custos são bem mais diluídos por natureza, e operando com um bom RR, vc tem chance de êxito mesmo em timeframe menor.

            O mais difícil mesmo é a velha história do medo de ficar tomando stop, rsrs

            Responder
            1. Hugo Teixeira

              Ok, então se operando mais você tem como diminuir os custos, dê 1 exemplo porque acho que ninguém entendeu nada. 😛

              É claro, se você está falando do forex, então no lugar da corretagem tem os spreads, que são muito piores.

          2. joao

            Hugo, então, é FOREX sim.

            O spread é bem menos ‘visível’ que a corretagem. E operando com um RR bom, acredito que há chances para o mortal no intraday.

            O problema é scalper. Cara com objetivo de 10 pips, spread de 2-4 pips pega 20%-40% do seu lucro. Soma a isso que geralmente operam com RR < 1, e aí é pressão pura.

            Agora a questão é definir a % razoável que o custo operacional deve ter. Eu chuto um máximo de 10%. Será?
            No caso acima, seria usar um TP de 20 a 40 pips.

            Só que não se pode esquecer do RR. Pra mim o mínimo aceitável é RR = 2 (ganhar 2x o risco). Isso serve principalmente pra reduzir a pressão por acertar sempre, já que nesse caso com 34% de acertos ficamos no BE, praticamente.

            No exemplo acima, isso seria:
            stop = 10-20 pips
            tp = 20-40 pips
            spread = 2-4 pips

            enfim, é a velha questão de balancear fatores conflitantes. Um stop desse tamanho, no FX, é pequeno. Enfim, seria muito bom encontrar algo mais aprofundado sobre DT em FX.

            Responder
  2. Ardoise

    É bem isso aí mesmo, a pressão do pouco dinheiro que por si só já não foi muito fácil conseguir, faz com que você meça bastante as coisas antes de colocar o capital em jogo.

    Eu até tinha capital decente pra começar, mas tenho uma característica que ajudou bastante: sempre quando vou fazer/comprar/etc, qualquer coisa na vida, eu pesquiso, testo e comparo zilhões de vezes! Vou comprar, sei lá, uma câmera, eu olho todas as opções de todas as marcas que puder naquela faixa de preço/categoria, vejo alguma informação técnica relevante, caso eu encontre um modelo que se encaixe, deixo passar uns dias pra amadurecer a idéia, e se eu realmente preciso daquilo. Tudo tem que ser com planejamento e calma, impulso geralmente leva à desgraça.

    No trading não foi diferente, eu não coloquei um centavo no mercado até ter absoluta certeza que minha estratégia funcionaria, bolsa não é loteria. A minha história foi um pouco diferente da maioria dos operadores que “venceram” no mercado, aqueles que perderam no começo, estudaram, se esforçaram e depois conquistaram o que queriam. Eu já comecei ganhando, não tive aquele momento de perder todo ou quase todo capital, pra estudar e resurgir das cinzas. Motivo? Estudei e fiz backtests exageradamente, teve época, no início, que ficava na frente do PC 15 horas por dia futucando o mercado, só saía pra dormir, ir ao banheiro e comer alguma coisa.

    Meu método funciona consistentemente, mas não é muito lucrativo. Pretendo melhorar, a gente não pára de aprender. Lógico, se eu tivesse começado numa era pré-internet, acho que não conseguiria, seria extremamente complicado fazer backtests e ter acesso às cotações históricas, já que considero backtest o elemento crucial no trading – se não funcionou no passado, dificilmente funcionará no futuro!

    “Se queres prever o futuro, estuda o passado.” – Confúcio

    Abraços!

    Responder
    1. Hugo Teixeira

      Pô, a minha história também foi mais ou menos assim.

      Quando eu comecei, ok, eu fiz várias merdas, mas eu não cheguei a perder mais de 30% do capital, ou seja, um drawdown moderado, drawdown de burrice, mas ainda assim, nada de horrível, comum.

      Depois disso eu resolvi estudar feito um doente e quando eu voltei, foi meio esquisito porque as coisas foram muito mais fáceis do que eu previa, acho que porque eu apenas corrigi os erros.

      A maioria das pessoas vai aprendendo muito aos pouquinhos, acho que é a aquela do “Oba oba, vamos investir!”

      Azar… deles.

      Responder
  3. joao

    Hugo e o pessoal… oq vcs pensam sobre o pessoal que diz:

    “Coloca o dinheiro na corretora, e começa a operar. Só assim pra aprender.”

    Eu sempre respondo que não vou colocar dinheiro sem antes ter um método decente, mas fica nessa história…

    Responder
    1. Hugo Teixeira

      Depois que você tiver um sisteminha bacana, aí sim, você coloca algum dinheiro e começa.

      Eu fiz isso no começo e ainda assim fiz merda hauehauehaueh, então imagina quem não tem sistema. 😛

      A moral da história é que no começo você provavelmente vai cometer alguns erros, nem que sejam apenas operacionais (mandar stop errado, não saber comprar ações etc.) mas tendo algum conhecimento, é preciso entrar.

      Tudo bem que para a maioria “algum conhecimento” é “todo o conhecimento do mundo” mas sabe como é: tem gente que não quer estudar.

      Responder
  4. velaepavio

    Fala Joao,

    Dei uma parada no Blog… mas ta la no ar. De vez em quando dou umas tuitadas… estou com outras prioridades no momento…

    e de vez em quando dou uma sapeada aqui pra ver o que o Hugo anda dizendo.

    Sabias palavras como sempre.

    Responder
  5. Felipe Graton

    Hugo, sei que nao tem muito a ver com o post, mas poderia tirar uma duvida minha? Estou realizando backtests com alguns sistemas bem simples que fiz aqui, e notei que em algumas açoes ele funciona muito bem, mas em outras nem tanto, e após pesquisar um pouco vi que muitos traders tem estrategias para escolher os papéis certos, onde eu conseguiria mais informacoes sobre esse tipo de coisa? Porque nao tenho a minima noçao de como avaliar um papel bom pra trades além de verificar a quantidade de negocios (facilidade para liquidar). É como se de certa forma eles soubessem quais papeis reagem bem aos sinais que eles procuram.

    Responder
    1. Hugo Teixeira

      No e-book eu ensino o CAN SLIM para essa função de selecionar ações.

      Outra estratégia que eu também explico e uso é essa: eu pego todas as ações do índice de small da Bovespa e dou preferência a entrada nas ações que “trendam” bem ou tem um passado direcional legalzinho.

      Infelizmente essa parte é consideravelmente subjetiva então não tem jeito: você precisa aprender a “captar” o que é um bom movimento direcional, com tendências longas, stops de vez em quando mas não em excesso. “Respeito” do ativo aos suportes e resistências etc.

      Com um pouco de prática você prega o jeito. 😉

      Abraço,

      Hugo

      Responder
      1. Felipe Graton

        Pesquisei sobre esse índice, as açoes dessa carteira sao realmente muito faceis de analisar, mas, e a questao de liquidez?

        Responder
        1. Hugo Teixeira

          Você vai precisar sofrer com a slippage de até 1% – 1,5%, aí quando passar disso, você diminui o risco. De 4% para 3% para 2,5% para 2% e abaixo disso é melhor pensar em outra coisa.

          Não é exatamente um problema, pelo menos para quem não tem ainda muitos milhões de reais. 😛

          Responder
  6. Guto

    Bom, tenho 25 anos e este ano finalmente coloquei em minha cabeça “preciso encontrar alguma coisa para ganhar dinheiro”. Nunca fui do “mundo das finanças”, pelo contrario , estou me formando em Analise de Sistemas. Ainda estou entendendo como se ganha dinheiro com ações, lendo, comprando seu e-book…. espero um dia poder passar aqui e dar meu testemunho. Obrigado pelas dicas Hugo.

    Responder
    1. Hugo Teixeira

      Uma parcela enorme de investidores são engenheiros, programadores e afins. Na verdade o pensamento analítico tem tudo a ver e ajuda.

      Eu mal comecei a dar dicas… o melhor ainda está por vir… logo. 🙂

      Responder
        1. Hugo Teixeira

          Eita, mas você é rápido hein? Hehehe…

          Sim, eu estou preparando um projeto super foda (ao meu ver), inédito e gratuito a ser lançado este mês (mas eu nunca acerto o prazo, então vai saber…)

          Ele vai pegar a mão do iniciante e leva-lo do comecinho do começo até o final…

          Não vou falar mais disso por enquanto. 😛

          Responder
          1. joao

            Hugo, eu sou zumbi dos seus blogs. Sempre os acompanho, os seus e o VP. Melhor material em português da internet, não canso de recomendar aos candidatos à aprendizes em trading;

            vou ficar na moita então, esperando;

            e lá vem pitaco (inútil): um dia podes fazer um projeto mais voltado a quem tem alguma experiência já… mais focado em PS e saídas, por exemplo. É um tipo de coisa difícil de achar por aí;

            Responder
            1. Hugo Teixeira

              Esse projeto inclui tudo.

              Eu farei com que o material de n00bs seja divertido para gente de nível avançado e que o material avançado seja útil para todo mundo (fácil de ler, seguir, etc.)

              Mas serão necessárias várias versões até eu conseguir isso.

              A primeira versão será mais um beta, para testar. 😉

  7. Adriano

    Boa noite! Vendo vcs conversarem não sei se continuo ou não kkkk..
    Sou Adriano, comecei a pensar em investimentos a uns 6 meses.
    Resumindo, não sei nem como se compra folhas do tesouro direto, Mas estou tirando o ano de 2018 juntar um capital e estudar, então pensei lá pra 2019 iniciar.. Pelo visto terei que estudar muito. Obrigado pela conversa de vcs, consegui captar um pouco rs.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *