Investindo Em Ações Como Um Profissional

Comprar e vender ações como um profissional não é tão difícil assim.

É difícil operar corretamente e fazer sucesso, mas trabalhar como um, usando as mesmas ferramentas e estratégias é um passeio no parque.

Porém, para isso você precisa estar disposto a gastar algum (ou muito) dinheiro.

Mas antes de definirmos esses gastos, vamos falar das diferenças no trabalho do trader e do investidor comum.

Um trader profissional (ou melhor, um day trader, já que para a maioria dos traders essas coisas são exagero) precisa de pelo menos 3 monitores com cotações diferentes das ações em tempo real.

Essas cotações precisam ser compradas através de um serviço de venda de cotações e passadas para uma plataforma de negociações (software de computador), que também custa dinheiro, obviamente.

Se quiser seguir esse caminho, prepare-se para gastar pelo menos 3 mil reais nos monitores e pelo menos mais 300 reais mensais com softwares e dados. 

Agora, com os investidores, o negócio é mais complicado (e divertido).

Quando um investidor pessoa física da Bovespa quer comprar ações de uma empresa, ele olha alguns dados e informações vitais sobre essa empresa e aí, decide se compra ou não.

Porém, o profissional não se contenta apenas com os dados, ele vai passear. Isso mesmo, ele vai conhecer a empresa antes de investir nela.

Esse jeito de pesquisar pode ser inviável para quem mora no bairro mais distante da cidade mais desconhecida do interior da Estônia por causa dos problemas de locomoção.

Mas quem mora nas regiões mais populosas do Brasil (ou qualquer país com bolsa), pode conhecer várias empresas cujas ações estão listadas na Bovespa. Talvez alguma até perto de onde você mora.

Por exemplo, eu moro perto de uma fábrica da Klabin. Nunca dei um pulo lá mas se tivesse interesse na empresa, não hesitaria em dar um oi pra galera. 😛  

Então, ao encontrar uma empresa com uma ação interessante que está perto de você, entre no site deles, pegue o número do serviço de relação com os investidores, dê uma ligada e agende uma visita.

Pode até não parecer, mas ao conhecer uma empresa ao vivo, você aprenderá muito sobre ela e poderá até mudar de opinião sobre a idéia de comprar suas ações ou não.

E mesmo que só existam empresas pouco interessantes perto de você, ainda sim vale a pena dar uma visitada para conhecer o lugar, ver como as coisas funcionam e etc.

Não seja louco de se esquecer que um investidor de verdade não investe em ações, ele investe em empresas. As ações são apenas um meio de investir nessas empresas e por isso, é uma boa conhecê-las.

Para resumir tudo:

Se você quiser comprar e vender ações como um trader profissional, compre monitores, serviços de dados, softwares e continue operando como sempre fez.

E se preferir investir como os profissionais, faça a sua pesquisa normalmente, compre um carro, uma passagem de avião ou ônibus e vá passear!



Descubra Como Conquistar a Sua Independência Financeira Em Apenas 10 Anos Investindo Só R$200 Por Mês!

Você vai descobrir...

  • Porque as maneiras mais populares de se atingir a independência financeira só estão fazendo você perder tempo (e oportunidades).

  • Quanto tempo você realmente tende a levar para atingir a sua independência financeira.

  • Porque a bolsa de valores pode acelerar a sua acumulação de capital em mais de 2x com toda a segurança do mundo.

  • O quê fazer para conquistar os seus objetivos da maneira mais rápida, fácil e simples possível.


4 Comentários Investindo Em Ações Como Um Profissional

  1. Giovanna

    Como faço para investir em longo prazo? Pelo que vejo o mercado de ações atribui lucro com o resgate da aplicação, existe alguma forma de investir em ações em um regime de juros compostos?

    Responder
    1. Hugo Teixeira

      Looooooooooongo prazo mesmo? O mais comum é usar a análise fundamentalista.

      Os lucros e prejuízos são contabilizados em tempo real no horário do pregão, de vez em quando surgem dividendos e juros sobre o capital próprio caso a empresa esteja indo bem.

      Os juros compostos se aplicam porque se forem gerados lucros na segunda, por exemplo, e na terça também, os lucros da terça já vão considerar os lucros da segunda no cálculo e não os do dia em que a ação foi lançada (o que seria um exemplo de juros simples). 😉

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *